• Fotógrafa quer publicar livro com 200 tatuadas nuas – e você pode ajudar

    Por: | Em: Mulheres, Suicide Girls | 28 de novembro de 2015

    Imagine um livro com 200 fotos de modelos tatuadas e Suicide Girls nuas, com uma nitidez maravilhosa para você eternizar. Essa é a ideia da fotógrafa Kasha, que já fez vários ensaios das Testosterona Girls aqui para o Blog. Agora ela conta com a sua ajuda no financiamento para que o livro seja publicado.

    01 copy

    Babilina Suicide

    O livro de 20×25 vai ter 200 imagens entre os quase 500 ensaios feitos durante os 6 anos em que Kasha fotografa nu, mais algumas imagens que ela vai produzir até fevereiro de 2016, digitais e analógicas. Ela conta que resolveu investir em um livro impresso porque, além de ser amante e colecionadora de livros de fotografia de nu, teve um problema com backup recentemente e perdeu ensaios. O livro, então, seria uma maneira de eternizar esse trabalho: “É muito fácil ser fotógrafo por dinheiro ou por fama na internet, mas ter algum trabalho que realmente faça a história concreta é muito mais importante para um artista”, explica Kasha.

    bruna-bruce

    Bruna Bruce Suicide

    Serão feitas 500 cópias do livro em “edição de colecionador” e Kasha está esperançosa de que consiga bater a meta que estabeleceu no financiamento: “Eu tenho mais de 30 mil seguidores, amigos e stalkers (haters também) em todas minhas redes sociais, eu sei que isso do crowdfunding, financiamento coletivo no Brasil é algo bem novo e o povo aqui não tem muito essa cultura de ajudar o próximo, mas em 8 dias de financiamento já consegui 5% da meta! Se 15% de todo mundo que é conectado a mim e meu trabalho contribuir com R$10,00 eu poderei fazer esse livro”.

    Você também pode contribuir. Várias recompensas são oferecidas para cada valor que você queira contribuir a partir de R$10,00. É só entrar no site do financiamento, escolher um valor e ajudar.

    continue lendo…

  • Suicide Girls Halloween Party e fantasias sexy

    Por: | Em: Suicide Girls | 21 de outubro de 2015

    Aí você pensa: o post é sobre festa de Halloween, Suicide Girls ou fantasias sexy? É sobre tudo isso junto!

    É que vai rolar, em São Paulo, a festa à fantasia de Halloween das Suicide Girls, a SuicideGirls Party Brasil Halloween #5. Vai ser dia 31 de outubro, às 23h, na Lab Club, na Rua Augusta. Estão confirmadas as presenças de DJs como Luciana Suicide, Lady Rocker, Elissa Cirino, Wagner McBrain,  Doc Goose, Laka e Creepy Drinks com Jeh Suicide e Giih Suicide.

    Vocês não podem perder. Tem @jehsuicide, @giihsuicide_ , @kasha_suicide e mais gatas

    A photo posted by Blog Testosterona (@blogtestosterona) on

    Claro que o Testosterona está apoiando essa festa maravilhosa! Para mais informações, dá uma olhada na página do evento e não esquece de confirmar presença para garantir seu desconto.

    E como as melhores fantasias serão premiadas na festa, nós montamos um painel no Pinterest com as fantasias de Halloween mais sexy das famosas de todos os tempos. Aqui vão algumas só para entrar no clima!

    Christina-Aguilera-enfermeira-2005

    Kim-Kardashian-Chapeuzinho-Vermelho-2010

    Avril-Lavigne-marinheira-2012

    continue lendo…

  • 5 perguntas para a Suicide Girl Bruna Bruce

    Por: | Em: Entrevista, Suicide Girls | 23 de setembro de 2015

    Bruna Bruce tem 23 anos e se tornou uma das mais conhecidas Suicide Girls brasileiras em pouco mais de um ano. Ela tem mais de 263 mil seguidores no Instagram e 5 ensaios no SuicideGirls.com. Musa do Blog de longa data, a ruiva já foi Leitora da Semana e Testosterona Girl algumas vezes por aqui – mas a gente nunca se cansa e fizemos até um painel no Pinterest dedicado a ela.

    Nessa entrevista você conhece um pouco mais sobre a gata e o lado das modelos Suicide Girls que você não vê. Confira:

     

    1 – Pode contar um pouco sobre como foi o seu processo até ser uma Suicide Girl?
    Quando era mais nova tentei ser modelo, adorava tirar fotos e fazer ensaios, mas ao mesmo tempo me sentia limitada porque já tinha algumas tatuagens, piercings, cabelo pintado e todas as pessoas que eu trabalhava dessa área me diziam que era melhor ser “natural” e não ter nada dessas coisas que eu gostava tanto. Acabei desanimando e percebi que nunca ia conseguir ser comum desse jeito. Anos depois conheci o Suicide Girls e fiquei apaixonada, acompanhava os ensaios e tinha muita vontade de fazer parte. Foi então que comecei a me informar mais sobre o site e procurar fotógrafos que trabalhassem com nu. Então enviei meu primeiro ensaio, não estava muito bom porque eu não tinha experiência posando e o fotógrafo não trabalhava com isso, as fotos acabaram sendo bem ruins, algumas sem foco, mas mesmo assim acabei sendo bem aceita no site e gostando do retorno, resolvi tentar novamente e enviar outro ensaio que ficou mais a “cara” do site, esse foi comprado na primeira semana e me tornei uma Suicide Girl oficial.

    2 – Quando teve a ideia de tentar entrar para o site?
    Como disse, eu conheci o site e comecei a acompanhar todos os ensaios, fui vendo que existem todos os tipos de Suicide, cada uma com sua beleza e decidi que também queria tentar fazer parte.

    3 – Quais as principais mudanças na sua vida desde quando decidiu se dedicar a isso?
    Trabalhar com isso é uma das coisas que mais gosto, mas infelizmente tenho noção que não é possível sobreviver apenas disso, por isso faço faculdade e levo essa parte da minha vida como um hobby. A principal mudança é que acabei sempre estando envolvida com algo que gosto muito, viajando e conhecendo pessoas incríveis. Coisas que ser uma Suicide Girl me proporcionou.

     

    4 – Você sente que chega a ser uma inspiração para outras meninas?
    Sim, recebo mensagens e e-mails todos os dias de meninas contando que se inspiram em mim e como gostam do meu trabalho, é muito gratificante e até engraçado porque ao contrário do que as pessoas pensam, não são só homens que admiram esse tipo de arte.

    5 – Acontece muito de ser assediada, ou receber comentários desrespeitosos nas redes sociais? Se sim, como lida com isso?
    Muito, mas desde muito nova estive envolvida com redes sociais e aprendi a lidar com isso. Hoje em dia nem perco tempo lendo besteiras, já bloqueio na hora quem é desagradável.