//Notícias

  • Para se manter, banda grava, atua e vende filmes pornôs caseiros

    Por: Edu | Em: Notícias | 15 de agosto de 2015

    porno-alagoano
    Hoje em dia está cada vez mais difícil manter uma banda de rock. Seja pelos downloads gratuitos, pela concorrência com as bandas clássicas e até pelo desinteresse por bandas novas. Viver de música está cada vez mais complicado. Para lutar pelo sonho de ser músico vale tudo! Até vender seus próprios pornôs caseiros.

    Lobo, líder da banda alagoana Cheiro de Calcinha, grava, atua e vende filmes pornôs caseiros como “Pânico nas X*x*tinhas Alagoanas”, “Bimbadinhas em Maceió”, “Penetrando no Centro de Maceió” e “X*x*tinha Alagoana”. Tudo para manter seu sonho de ser músico. E ele não esconde que, durante muito tempo, sua única fonte de renda vinha dos seus pornôs caseiros.

    “Não só a banda, mas as minhas despesas pessoais. Bancava também a produção dos novos filmes. Era um projeto apoiando outro. Atualmente não, mas teve uma fase que a produção e venda dos filmes era a minha única fonte de renda. Nos filmes o conteúdo é sexo explícito. Já as letras das músicas, que são irreverentes, obedecem limites. Umas falam de infidelidade, outras de amor, algumas tem um duplo sentido leve. De um modo geral é música de festa”

    Fonte: Whiplash

  • Ashley Madison, o site de traição que já tem mais usuários que o Tinder

    Por: Edu | Em: Notícias | 09 de agosto de 2015

    ashley-madison1
    Noel Biderman costuma mentir se alguém pergunta o que ele faz para viver. Ele provavelmente vai dizer que é advogado, o que é verdade. Só que ele também é um empresário bem-sucedido, que ganha mais de US$ 5 milhões por ano. O problema é que dizer o nome de sua empresa é o suficiente para causar certo constrangimento. Biderman é o cofundador e CEO da Ashley Madison, um site que facilita o romance extraconjugal. “Quando eu digo isso pras pessoas, a conversa acaba”, conta.

    Mas esse constrangimento não bate com o sucesso da empresa. De acordo com documentos fiscais compartilhados por Biderman, a Avid Life Mídia, dona da Ashley Madison, arrecadou US$ 115 milhões em 2014, um aumento de 45% em relação ao US$ 78 milhões em 2013, e até quase três vezes desde 2010. Segundo números de novembro, em todo o mundo, o site tem mais de 31 milhões de usuários. Um bom número se comparado ao famoso Tinder, com 30 milhões de registrados.

    Os clientes da Ashley Madison são mais velhos do que os do Tinder e não estão interessados em mostrar suas jogadas. “Quarenta e até 50 anos de idade, os homens casados entendem que não estão indo para fazer login em uma conta no Facebook”, explica o empresário.


    Biderman, um ex-advogado de esportes, lançou o site Ashley Madison com um parceiro de negócios em 2002. Cada um deles colocou cerca de US$ 500.000. Demorou cinco anos para atrair o primeiro milhão de membros, mas o crescimento decolou após cortes de empregos da recessão de 2008, pois criou muito mais tempo livre para muitos homens.

    As mulheres não pagam nada, mas os homens são cobrados por cada contato feito. Eles normalmente gastam entre US$ 200 e US$ 300 por ano no site. Até a segurança da confidencialidade tem seu preço. Para os arrependidos que quiserem limpar completamente o seu perfil, é preciso desembolsar US$ 19.

  • Mulher descobre coleção pornô do marido após atualização do Windows 10

    Por: Edu | Em: Notícias | 04 de agosto de 2015

    porn
    Você acha que seu conteúdo pornô do computador está bem guardado?Um homem foi surpreendido com a atualização do Windows 10. Não por ter perdido algum documento importante ou mesmo por não ter gostado dos novos recursos. Conforme relatado no Reddit, o usuário FalloutBos disse ter sido dedurado pelo sistema operacional da Microsoft.

    Ele, como contou, teria ido dormir enquanto o processo de atualização do Windows 10 seguia o curso. A surpresa veio na manhã seguinte, quando foi acordado pela mulher enfurecida por se deparar com um protetor de tela cheio de imagens pornográficas. “Muito obrigado, Microsoft”, disse ele no site norte-americano de publicações sociais. O post foi publicado na última quinta-feira (30) e, em quatro dias, acumulou mais de 830 comentários.

    Mesmo sem saber como sua coleção pornô teria parado ali, o homem tentou desativar a funcionalidade, mas não obteve sucesso. A solução temporária foi manter o computador desligado. Por padrão, segundo ele, o Windows 10 cria um protetor de tela com todas as fotos da pasta “Minhas Imagens”. Portanto, como sua coleção de pornografia fazia parte do arquivo, o sistema acabou puxando-a automaticamente e exibindo-a no monitor do computador.

    “Não cometa meu erro, mantenha suas fotos privadas fora da pasta “Imagens”, não importa o quão profundo você as esconda em subpastas”, relatou o usuário do Reddit.

    Fonte: Uol

  • Site de traição reúne mais 3 milhões de brasileiros, São Paulo tem mais cadastrados

    Por: Edu | Em: Notícias | 02 de agosto de 2015

    O Ashley Madison, site de relacionamentos extraconjugais, já conta com mais de 3 milhões de brasileiros cadastrados. A cidade de São Paulo lidera o ranking no país, com quase um terço dos cadastros brasileiros, são 870.527 usuários até o momento. Na segunda posição está o Rio de Janeiro, com menos de um terço de usuários que São Paulo, 252.988 membros. Em terceiro, o estado de Minas Gerais, com 247.509.  Na classificação por cidades, São Paulo também lidera, com mais de 300 mil usuários.

    Enquanto Brasília aparece no ranking como a cidade que mais gasta com encontros extraconjugais (comprando conteúdo e produtos exclusivos no site), quase 90% a mais em relação à média do país. Na capital federal, o gasto médio de um usuário com amantes chega a R$ 2.300. No site, são também os brasilienses que mais gastam com créditos, de 20 a 50 créditos, comprando rosas e diamantes virtuais. Já os paulistas, gastam em média apenas cinco créditos enviando mensagens na plataforma. No ranking de percentual per capita de membros, Brasília lidera seguida por Curitiba e Porto Alegre.

    No total, o site possui 65% de homens e 35% de mulheres cadastradas, mas esse número varia bastante de acordo com a faixa etária. Entre os membros com mais de 60 anos, cerca de 99% são do sexo masculino, enquanto o percentual chega a 50% para usuários na faixa dos 20 a 40 anos de idade. Ainda, a média de tempo de casamento das mulheres é de sete anos, enquanto a dos homens é de mais de uma década.

    Também foi constatado que mais da metade dos usuários brasileiros encontra seus parceiros no máximo duas vezes por mês. O horário mais comum para esses encontros, usado por mais de 43% dos membros, é entre 12h e 17h, e, para mais de 70%, eles têm duração média de no máximo duas horas.

    Em um outro recorte usado pelo Ashley Madson em materiais de divulgação, quem lidera em usuários é a cidade de Brasília. Isso porque, o chamado Mapa da Infidelidade, calcula o volume de usuário relacionado ao total de habitantes daquela cidade. Como São Paulo tem mais moradores, essa taxa sofre um desvio. O cálculo acontece da seguinte forma: São Paulo possui mais de 11 milhões de habitantes e de 300 mil cadastros, com cerca de 3,1% da população.

    Já Brasília, que lidera no mapa, possui cerca de 2,4 milhões de habitantes e, apesar de menos de 100 mil membros no Ashley Madison, o número representa aproximadamente 4,2% da população da cidade. Nesse ranking, o segundo lugar é ocupado por Curitiba e, o terceiro, por Porto Alegre. São Paulo aparece apenas em sétimo lugar, e o Rio de Janeiro, em oitavo, com 2,6%.

    mapa-da-infidelidade-no-brasil-junho2015
    Fonte: Ashley Madison

  • Homem faz pedido para se casar legalmente com sua segunda esposa

    Por: Edu | Em: Notícias | 29 de julho de 2015

    casamento
    O americano Nathan Collier fez um pedido no estado de Montana, nos EUA, para poder se casar legalmente com sua segunda esposa. Collier disse que a decisão da semana passada da Suprema Corte dos EUA que legalizou casamento gay o inspirou a lutar pela aceitação dos casamentos polígamos.

    Os funcionários do tribunal do condado Yellowstone negaram inicialmente na terça-feira o pedido. No entanto, quando ele disse pretende apresentar uma demanda, os funcionários responderam que iriam consultar o defensor do condado antes de dar uma reposta final.

    Collier se casou com sua primeira esposa, Victoria, em 2000. Ele e sua segunda esposa, Christine, realizaram uma cerimônia religiosa em 2007, mas o casamento não é reconhecido oficialmente pela Justiça.

    Fonte: Washington Post

  • Pessoas que utilizam emojis fazem mais sexo, diz pesquisa

    Por: Edu | Em: Notícias | 28 de julho de 2015

    emojis-mais-usados
    Se você é solteiro e não usa muito os emojis para trocar mensagens, chegou o momento de repensar esse hábito. Pelo menos se quiser ter uma vida sexual mais ativa, digamos assim. Parece piada, não é? Mas segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pelo site de relacionamentos match.com, as pessoas que usam as carinhas estão fazendo mais sexo do que aqueles que preferem se comunicar apenas com texto.

    De acordo com os dados do estudo, 54% dos solteiros que usaram emoticons tiveram relações sexuais em 2014; e 64% dos homens e 46% das mulheres que usam os emojis regularmente fizeram sexo pelo menos uma vez por mês. Por outro lado, apenas 31% dos que não aderiram aos emoticons fazem sexo regularmente.

    O uso das carinhas ajuda a revelar um pouco mais da personalidade e conveniência das pessoas, além de os pequenos desenhos serem um acessório para expressar melhor os sentimentos que as palavras não dão conta. Em entrevista à revista Times, Helen Fisher, responsável pela pesquisa, afirmou que as pessoas que usam com frequência as carinhas virtuais estão se beneficiando. “Eles (os usuários de emojis) fazem sexo mais vezes, vão a mais encontros e têm o dobro de chance de quererem se casar”, explicou a especialista.

    Fonte: Vírgula

  • Ativistas recriam personagens femininas de videogames com corpos realistas

    Por: Edu | Em: Notícias | 27 de julho de 2015

    mulher1
    A representação do corpo feminino nos videogames é alvo constante de debate, com críticas à sensualização excessiva. Com seios fartos, cintura fina e magérrimas, as personagens perpetuam uma imagem irreal. Pensando nisso, a organização Bulimia, que combate desordens alimentares, montou uma campanha que reimagina heroínas dos jogos eletrônicos, como Lara Croft e Cortana, dando a elas corpos mais próximos ao real.

    “Alguns podem argumentar que as pressões sociais para obter a perfeição são reforçadas apesar da representação nos videogames”, afirmam os ativistas, em comunicado. “As jogadoras — especialmente as mais jovens — podem desenvolver uma imagem distorcida de como o corpo feminino deve parecer. Isso pode marcar o início de pensamentos obsessivos sobre seus próprios corpos, e o questionamento a respeito do porque não se alinham com a percepção do ideal”.

    O avanço da tecnologia permitiu que desenvolvedores criassem jogos com gráficos impressionantes, muito distantes das imagens pixeladas dos primeiros videogames. Jogos imersivos, de mundo aberto, são bastante realistas, quase cinematográficos, com ambientes ricos e cheios de detalhes.

    “E com tal atenção aos detalhes, isso nos faz pensar, por que eles não podem retratar com precisão o corpo feminino?”, argumentam os ativistas. “Por exemplo, mulheres gordas são uma raridade nos videogames, e quando uma aparece, ela tipicamente tem um visual estranho. Parece que os videogames são casa apenas para as cinturas ultrafinas”.
    mulher2mulher3mulher4
    Fonte: O Globo

  • 43% dos homens se sentem incomodados em fazer sexo oral em mulheres

    Por: Edu | Em: Notícias | 27 de julho de 2015

    sex-oral
    43% dos homens se sentem incomodados em fazer sexo oral em mulheres. Os principais motivos constados por uma pesquisa feita pela empresa Sex Wipes são: medo de contrair DST, religião e falta de confiança na parceira.

    Cheiro e gosto ruim, quantidade de pelos e má aparência da vagina são outras razões que constam no levantamento que entrevistou 1252 homens paulistanos heterossexuais e sexualmente ativos com idades entre 18 e 30 anos.

    Além dados mencionados, quatro em cada 10 homens dos 78% dos entrevistados que afirmaram receber sexo oral frequentemente não se preocupam em retribuir o agrado. Em contrapartida, 35% que faz sexo oral busca dar prazer a sua parceira.

    Via: Catraca Livre