• Homem pede dinheiro de volta após mulher não aceitar segundo encontro

    Por: Eduardo Mendes | Em: Notícias | 09 de dezembro de 2015

    Você marca um encontro pra sair com a garota, você se conhecem, conversam, descobrem interesses incomuns, mas nem sempre isso é garantia de um segundo encontro. Foi o que aconteceu com Lauren Crouch, de Islington, na Inglaterra.

    A inglesa de 28 anos se encontrou com um homem na entrada da estação de metrô perto da sua casa. Os dois foram tomar um café. A conta – R$ 20 – foi paga por ele. Depois de 20 minutos de conversa, o homem convidou Lauren para um segundo encontro: um jantar na casa dele.

    Lauren não aceitou. Depois, em conversa por smartphone, ela agradeceu o convite, mas salientou que “não houve química” entre os dois. Decepcionado, o homem então pediu um ressarcimento: os R$ 20 gastos com os cafés.

    “Você pode me devolver o dinheiro dos cafés? Não gosto de jogar dinheiro fora. Prefiro gastá-lo em encontro com outra pessoa”, escreveu ele (imagem acima, em amarelo), em resposta ao argumento de Lauren: “Não vou à casa de pessoas que mal conheço” (em azul). Em outra mensagem, ele deixou o número da conta bancária.

    A história foi relatada por Lauren em seu blog. Ela não esclareceu se “devolveu” o dinheiro.

    print2

    Fonte: Not bat dates, just good histories

  • Mulher faz teste no Tinder e prova que homens preferem peitudas

    Por: Eduardo Mendes | Em: Notícias | 08 de dezembro de 2015

    Que surpresa, né? A inglesa identificada apenas como “Carla” fez o teste no Tinder e conseguiu comprovar isso. Ela criou um perfil “normal” e outro com o dobro de peitos: a versão peituda teve 34% mais matches na rede social.

    As fotos eram idênticas, a única alteração era mesmo o tamanho do peito. Junto a um grupo de pesquisadores digitais assistentes, ela selecionou 1000 homens e observou que a “Carla peituda” teve 809 matches (207 a mais que sua gêmea despeitada).
    peitudas-tinder
    Os comentários e as mensagens também foram diferentes para os dois perfis. Enquanto ninguém fazia referência ao corpo e à beleza de uma, a versão peituda recebeu uma série de elogios, piadinhas e convites sexuais – o que também pode dar uma ideia do que os caras estão procurando online.

    As mensagens para a “Carla peituda” eram mais no nível de cantadas baratas, tipo:

    “Você tem cara de que gosta de ser jogada na parede”

    “O que uma mulher linda como você está fazendo aqui?”

    “Preciso de uma foto sua, pra eu dizer ao Papai Noel o que eu quero de Natal”

    “Nossa, você é muito linda! Seu sorriso até aumentou o brilho do meu celular”
    tinder-peitudas-3
    As mensagens para a “Carla normal” eram, digamos, mais interessadas nela:

    “E aí, Carla, o que gosta de fazer no seu tempo livre?”

    “Fiquei pensando em alguma coisa inteligente para dizer porque você parece ser o tipo de garota que tem personalidade”

    “Você é muito bonita… me conta mais sobre você, o que você faz, quais os seus sonhos…”

    Fonte: Daily Mail

    LEIA TAMBÉM: Ashley Madison, o site de traição que já tem mais usuários que o Tinder

  • Universidade de Cambridge terá disputa de Melhor Bumbum do Ano

    Por: Eduardo Mendes | Em: Notícias | 03 de dezembro de 2015

    bunda
    Concursos e premiações sempre chamam atenção, pelo simples fato de que as pessoas adoram listas e concursos, seja lá do que. Na inglaterra, o jornal “The Tab“, da Universidade de Cambridge, divulgou uma lista de estudantes candidatos ao prêmio “Bumbum do Ano” da instituição de ensino.

    A votação está aberta. Mulheres competem com homens pelo prêmio de melhor bumbum da universidade. A única exigência é posar  – de costas, obviamente – em algum ponto dos campi da universidade.

    Oficialmente, por questão de direitos autorais, a competição passou a se chamar “Melhor Bumbum”, mas nas redes sociais ela é conhecida pelo nome antigo: “Bumbum do Ano”.

    bunda-cambridge

    Veja todas as fotos aqui

  • Homem cria perfil fake e flagra namorada no Snapchat

    Por: Eduardo Mendes | Em: Notícias | 30 de novembro de 2015

    Em tempos de Snapchat, redes sociais e tudo mais, descobrir uma traição não é tão complicado assim. Um homem não identificado alega ter enganado sua namorada no Snapchat, fingindo ser seu amante, para flagrar a traição e conseguir fotos sensuais da mulher. Sua vingança? Compartilhar as fotos da então namorada seminua no Facebook.

    Para dar o golpe, o sujeito, que acredita-se ser americano, usou imagens falsas do amante dela como foto de perfil no Snapchat, e começou a falar com ela para pegá-la no flagra.

    A conversa logo apimentou, e ela começou a enviar fotos com emojis e poses sensuais só de calcinha e cobrindo os seios. Apesar disso, a mulher, também não identificada, oculta o rosto ou o deixa apenas parcialmente visível.

    snapchat-namorada

  • Outdoor interativo ajuda você a estacionar o carro

    Por: Eduardo Mendes | Em: Carros, Notícias | 29 de novembro de 2015

    outdoor
    Todos nós sabemos que dirigir bem não é para qualquer um, e estacionar o carro menos ainda. Se observamos com calma na rua os carros parados, podemos encontrar cada barbaridade que até quem não dirige fica se perguntando como fizeram isso.

    Uma ajudinha para estacionar então seria muito bem vinda, né? A Fiat resolveu dar uma força e criou o primeiro outdoor interativo que te ajuda a fazer uma baliza perfeita (ou quase). Um sensor foi colocado nos dois carros que ficavam entre a vaga e no telão o motorista tinha como ajudantes uma menininha, um homem ou uma coelhinha sexy, mostrando com as mãos a distância entre os carros. A criação ficou por conta da Leo Burnett da Alemanha.

  • Comida deixa as mulheres mais românticas

    Por: Eduardo Mendes | Em: Notícias | 28 de novembro de 2015

    comer

    Quer conquistar uma mulher? Leve-a a um bom restaurante. Diz a ciência que comida deixa as mulheres mais românticas –  e propícias para engatar um romance. Loucura né?

    Pesquisadores mostraram fotos românticas a 20 mulheres, enquanto tinham seu cérebro escaneado, em dois momentos: esfomeadas e depois de comer. O sistema de recompensa delas foi mais acionado depois da refeição. Sem se preocupar com fome, o cérebro, mais relaxado, libera mais prazer. Aí a paquera fica mais fácil.

    “Em vez de ficarem ansiosas ou irritadas com a fome, elas passam a se concentrar em coisas melhores”, afirmou a pós-doutora em Psicologia Alice Ely, em entrevista ao jornal científico Appetite. Se estiverem de dieta, a tática funciona ainda melhor.

    “Quem estava de regime teve uma reação ainda maior nas regiões de recompensa do que os outros grupos”. A pesquisadora alertou, no entanto, que é necessário um estudo com um número maior de mulheres para conclusões definitivas.

    Fonte: Science Direct