Mundo Macho

O que você procura? Humor, histórias e referências, mulheres, dicas, sexo e entretenimento – tem tudo aqui!

  • O Tumblr com as leitoras do Testosterona está de volta!

    Por: Edu | Em: Mundo Macho | 04 de agosto de 2015

    Quem acompanha o blog há algum tempo já sabe que temos a tradição de contarmos com um número muito grande de leitoras lindas e gostosas. Por isso, temos o Tumblr Testosterona pra postar as fotos dessas beldades. Depois que o Snapchat se popularizou no Brasil, mandar uma foto pra gente ficou muito fácil, e todos os dias atualizamos o Tumblr com novas fotos. Então, clique aqui e confira!

    tumblr-testosterona

     

    Tumblr Testosterona

  • Games de luta: Schwarzenegger e outros quatro personagens memoráveis

    Por: Gustavo Gusmão | Em: Mundo Macho | 03 de agosto de 2015

    terminator
    A 2K Games anunciou nesta semana que a próxima edição da série de games de luta WWE 2K terá um participante especial: Arnold Schwarzenegger. O ex-governador da Califórnia – e um dos meus atores favoritos de filmes de ação, por sinal – participará do jogo como o robô T-800 e terá duas opções de roupagem, ambas sem armas e baseadas nos androides dos dois primeiros Exterminador do Futuro. Ele fará companhia a Dean Ambrose, Seth Rollins, Daniel Bryan e a mais de uma centena de outros lutadores, em um quadro de lutadores que promete ser o “maior da história dos games”, segundo a produtora. O teaser de anúncio você vê abaixo.

    Por ora, a informação que se tem é de que o personagem estará disponível apenas para quem comprar o WWE 2K16 na pré-venda em algumas lojas norte-americanas – um bom chamariz para os fãs da série de wrestling. Mas não seria surpresa nenhuma se ele fosse lançado mais tarde como um DLC (aqueles conteúdos que você compra à parte) ou, quem sabe, até como um lutador “desbloqueável”, dando continuidade a uma tradição milenar nos games de luta. Aproveitando o gancho de Schwarzenegger (o trocadilho foi sem intenção), então, selecionei outros quatro personagens extras memoráveis de jogos de dar porrada. A lista também tem mais dois bônus, que são mais curiosos do que marcantes, mas vá lá. Confira:

    Akuma

    akuma.
    O primeiro da lista é quase tão famoso quanto o Exterminador, ao menos quando o assunto é videogame. Mestre em Ansatsuken, Akuma apareceu pela primeira vez em Super Street Fighter II Turbo, de 1994, como um chefão surpresa dos mais apelões. Ao menos na versão original do jogo, só era possível usá-lo nas lutas executando uma sequência na tela de escolha de personagens. O Akuma desbloqueável de verdade veio a aparecer só nos Street Fighter Alpha 2 e 3, no Street Fighter III 2nd Impact, nas versões de SSFII para Game Boy Advance e Dreamcast e, mais recentemente, no Street Fighter IV.

    Reptile

    reptile
    Outro personagem icônico, Reptile nasceu como um lutador secreto do Mortal Kombat original, que só podia ser enfrentado se determinadas condições fossem atendidas. Era preciso conseguir uma vitória perfeita (sem ser atingido e sem bloquear golpes), realizar a luta no Bridge Stage, finalizá-la com um fatality e ainda torcer para que uma silhueta aparecesse sobre a lua. Fazendo tudo isso, uma mensagem aparecia na tela e o combate era iniciado embaixo da ponte onde a outra luta acontecera. O Reptile original era um ninja verde, tinha os poderes de Scorpion e Sub-Zero e era bem mais rápido que ambos. Mas só era possível desbloqueá-lo e usá-lo nas lutas na versão do jogo para Game Boy Advance – o que é uma pena, já que a adaptação para o portátil da Nintendo foi sofrível. A boa notícia é que Reptile se tornou jogável a partir do segundo Mortal Kombat. No 9, por sinal, dá até para recriar a primeira luta e vestir o personagem com a roupa de ninja verde que ele trajava originalmente.

    Bruce Lee

    O ator e lutador que venceu Chuck Norris nunca chegou a lutar no UFC. Mas por misturar diferentes estilos, Dana White, o presidente da entidade, o considera o pai da modalidade. E talvez isso tenha sido motivo suficiente para que a Electronic Arts colocasse Bruce Lee como um personagem extra em EA Sports UFC, lançado no ano passado. O lutador podia ser adquirido como um DLC ou desbloqueado em todas as categorias de peso caso o jogador completasse o modo carreira no Hard. Parece complicado, mas Lee chegou a superar Jon Jones e Georges St-Pierre em popularidade no game um mês após o lançamento, sendo o personagem mais utilizado pelos jogadores até o meio do ano passado.

    continue lendo…

  • Por que a vagina tem tantos apelidos?

    Por: Andre Filho | Em: Pensamentos Machos | 03 de agosto de 2015

    calcinha
    A vagina – quem não conhece, procure no Google – é uma palavra universal, sobre uma paixão universal. Porém, na fértil mente deste que vos escreve, ficou a questão: porque e daonde vieram tantos nomes dessa nossa grande amiga?

    Buceta, Xoxota, Periquita, Perseguida, Perereca, Pepeca, Florzinha, Pérola, entre outros tantos milhões de nomes. Claro que existem diferenças na origem de todos, muitos são usados pela mãe, quando a filha ainda está se descobrindo, e sentem a necessidade de eufemizar com nomes bonitinhos. Outros tantos, são formas escrachadas e um tanto esdrúxulas que os homens se referem à nossa razão de viver. Não que nós vivamos em razão da periquita. Mas, nós nascemos dali. A mente de vocês é muito maliciosa, não me deturpem.

    Em meus parcos pensamentos, cheguei a algumas – muitas vezes falhas – conclusões do porquê de existirem tantos nomes para descrevê-las. Um ou cinco, tudo bem. Mas existem bem mais de 100 nomes para vagina. Desde apelidos, até nomes postos pela sociedade como universais.

    Consigo enxergar alguns motivos: o primeiro seria o sexo como tabu. Como até hoje acontece. Se faz necessário eufemizar o sexo, e não só entre crianças, muitas vezes, entre os próprios adultos, pelo assunto ainda ser algo guardado a sete-chaves. E aqui estou apenas fazendo uma observação e nenhum julgamento. É fácil perceber isso, quem tem essa visão de tabu, suaviza a palavra com nomes mais amigáveis.

    Em segundo lugar, creio eu: personalidade. A Vagina, em nosso imaginário, cria personalidade própria e ganha o nome conforme o enredo o peça. Vai de pessoa para pessoa, e a forma como trata e respeita a outra. Tantas vezes é com carinho e poesia. Muitas vezes é invasivo, desrespeitoso e devemos ter todo cuidado com isso. Afinal, também existem trocentos nomes para o nosso órgão sexual e tenho certeza que você não gostaria de receber o mais broxante possível. Vale ressaltar que, muitos apelidos para pepeca a rebaixam e quase nenhum apelido para pênis o faz menos imponente. Ou seja, ainda tem o machismo velado na hora de apelidar nossos órgãos. Isso quer dizer que, dá pra fazer toda uma análise do caráter do homem, da feita que ele resolve se referir a sua vagina. É só ficar de olho.

    A última razão, e essa eu puxo para mim, é que a palavra vagina não tem poesia. Infelizmente. É um nome técnico, correto e perfeito para ser usado em determinadas situações. Mas não consigo imaginar grandes textos de nossa literatura, descrevendo e admirando tão perfeitamente as mulheres, usando uma palavra muito técnica, sem a suavidade e poesia necessária que faça o leitor transcender. Mas, existe um nome correto? Contanto que não ofenda ou não fira eticamente ninguém, não. Eu, pessoalmente, prefiro usar o nome que tanto Gabriel Garcia Marquez e Shakespeare usam em suas obras. Simples e direto. Poético na medida certa. E humana, como ela o é.

    andre
  • Site de traição reúne mais 3 milhões de brasileiros, São Paulo tem mais cadastrados

    Por: Edu | Em: Notícias | 02 de agosto de 2015

    O Ashley Madison, site de relacionamentos extraconjugais, já conta com mais de 3 milhões de brasileiros cadastrados. A cidade de São Paulo lidera o ranking no país, com quase um terço dos cadastros brasileiros, são 870.527 usuários até o momento. Na segunda posição está o Rio de Janeiro, com menos de um terço de usuários que São Paulo, 252.988 membros. Em terceiro, o estado de Minas Gerais, com 247.509.  Na classificação por cidades, São Paulo também lidera, com mais de 300 mil usuários.

    Enquanto Brasília aparece no ranking como a cidade que mais gasta com encontros extraconjugais (comprando conteúdo e produtos exclusivos no site), quase 90% a mais em relação à média do país. Na capital federal, o gasto médio de um usuário com amantes chega a R$ 2.300. No site, são também os brasilienses que mais gastam com créditos, de 20 a 50 créditos, comprando rosas e diamantes virtuais. Já os paulistas, gastam em média apenas cinco créditos enviando mensagens na plataforma. No ranking de percentual per capita de membros, Brasília lidera seguida por Curitiba e Porto Alegre.

    No total, o site possui 65% de homens e 35% de mulheres cadastradas, mas esse número varia bastante de acordo com a faixa etária. Entre os membros com mais de 60 anos, cerca de 99% são do sexo masculino, enquanto o percentual chega a 50% para usuários na faixa dos 20 a 40 anos de idade. Ainda, a média de tempo de casamento das mulheres é de sete anos, enquanto a dos homens é de mais de uma década.

    Também foi constatado que mais da metade dos usuários brasileiros encontra seus parceiros no máximo duas vezes por mês. O horário mais comum para esses encontros, usado por mais de 43% dos membros, é entre 12h e 17h, e, para mais de 70%, eles têm duração média de no máximo duas horas.

    Em um outro recorte usado pelo Ashley Madson em materiais de divulgação, quem lidera em usuários é a cidade de Brasília. Isso porque, o chamado Mapa da Infidelidade, calcula o volume de usuário relacionado ao total de habitantes daquela cidade. Como São Paulo tem mais moradores, essa taxa sofre um desvio. O cálculo acontece da seguinte forma: São Paulo possui mais de 11 milhões de habitantes e de 300 mil cadastros, com cerca de 3,1% da população.

    Já Brasília, que lidera no mapa, possui cerca de 2,4 milhões de habitantes e, apesar de menos de 100 mil membros no Ashley Madison, o número representa aproximadamente 4,2% da população da cidade. Nesse ranking, o segundo lugar é ocupado por Curitiba e, o terceiro, por Porto Alegre. São Paulo aparece apenas em sétimo lugar, e o Rio de Janeiro, em oitavo, com 2,6%.

    mapa-da-infidelidade-no-brasil-junho2015
    Fonte: Ashley Madison

  • Dia do Orgasmo – Cervejas do amor

    Por: Diego Pucci | Em: Cerveja | 30 de julho de 2015

    CervejadoAmor
    Hoje, no Dia do Orgasmo, vamos falar sobre dois estilos de cerveja, as Fruit Lambics e Fruit Beers, conhecidas também por “cervejas do amor”! As Lambics pertencem a terceira família de cervejas, a de fermentação espontânea. Este estilo de cerveja ácida é produzido em tanques abertos, na região de Bruxelas na Bélgica, onde sofre uma “contaminação” por um complexo conjunto de microorganismos selvagens presentes no ar local. Resumindo de um modo bem simples, o “fermento” é inoculado pela própria natureza.

    As Fruit Lambics tem adição de frutas, fornecendo além do sabor, aroma e cor para a cerveja. A cereja é a fruta mais comumente adicionada nas Fruit Lambics, devido as suas características de cor, aroma, sabor e acidez, mas também encontramos exemplares com framboesas, uvas, cassis, pêssegos, damascos e morangos.

    Rótulos como Boon Kriek, Liefmans, Lindermans e Timmermans são ótimos exemplos de Fruit Lambics.

    Já as Fruit Beers são quaisquer estilo de cerveja que utilize frutas ou extrato de frutas em alguma fase da produção, trazendo características da fruta para a cerveja.

    Bacchus Kriek, Floris, Meantime Raspberry ou Cerveja do Amor da Bodebrown representam bem o estilo de cerveja Fruit Beer.

    15003945421_7c9e19d498

    Dica bônus: Harmoniza estas cervejas com sobremesas com base de chocolate, creme ou até mesmo um cheesecake! Você irá se surpreender!

    Ah, e porque cerveja do amor?! Se você ainda não conhece estes estilos e estiver acompanhado, hoje é o dia perfeito para descobrir! =P

    Cheers!