Descubra o que as garotas do Testosterona CAM estão fazendo agora - 24 horas online

Nas ultimas semanas, a dupla Everaldo Marques e Paulo Antunes da ESPN – você pode considerar eles Jesus Cristo e o apóstolo João da transmissão da NFL no Brasil; não sei quem é Adão e Eva nessa história, admito – brincaram sobre ter um jogo de bebida com alguns bordões citados em basicamente todo jogo que o Paulo Antunes faz. Isso acabou um pouco com a originalidade deste post que eu pensava há séculos, me sentindo roubado em pensamento. Mas tudo bem, releve essa parte e pense em mim como o cara mais original possível.

Não há forma melhor que tentar passar sua ideia que com um jogo de bebidas. Explico: futebol americano não é um esporte fácil. Mas com a liberação de um pouco de álcool no seu sangue, a chatice alheia tende a ser diluída e os parâmetros ficam mais borrados, deixando as pessoas abertas a novas experiências – pergunta pro Alexandre Borges e ele vai te explicar isso -, até seu amigo mais chato e que fala que futebol americano é um esporte idiota.

Caso você seja mais puritano e não vê os benefícios desse jogo, só a desgraça, não tem problema, mas este não é o texto mais indicado para você.

Here we go! #tudopelanfl

Uma foto publicada por Everaldo Marques (@everaldomarques1) em

Pois bem, fã de NFL, reúna seus amigos neste domingão ou então já nesta quinta mesmo e abra a sua adega. Você vai se divertir com seus parças e ainda convencer eles que um esporte de bola oval, capacetes, jogado em alto nível em um só país e com atletas gordos pode ser uma das 7 maravilhas do mundo. E ainda aprender sobre história, jogadores e regras de forma mais divertida que lendo um post, por mais bonito, bem feito e escrito que esteja.

Cenário: quinta a noite, você não quer encher a cara. Amigos só no fim de semana, hoje é dia da esposa/namorada/marido/namorado.

 

Modo easy

Bebida: vinho

Jogo: Houston Texans x New England Patriots

 

Os Patriots, time mais popular dos torcedores aqui no Brasil – pelo menos essa é minha impressão – jogam nesta quinta contra os Texans. Caso Tom Brady estivesse em campo, a brincadeira poderia ser beber um gole de Merlot a cada vez que você desejasse ser ele: multimilionário, casado com Gisele Bündchen, um dos maiores da história do esporte e ainda inegavelmente bonito. Mas esse jogo terminaria com você de joelhos no banheiro encarando a privada e sua namorada ou esposa fantasiando com o camisa 12.

Então graças a Deus Brady está fora. E você pode beber um gole a cada sack de J.J. Watt. Watt é o camisa 99 dos Texans e um dos maiores jogadores de defesa da história do esporte, mesmo tendo ainda 27 anos. Sim, ele é bom assim. Um sack, caso você não saiba, é quando um jogador de defesa consegue derrubar o quarterback rival, quando este ainda domina a bola, atrás de onde a jogada começou. Como isso não acontecerá tantas vezes e o jogo de bebida precisa ser bem sucedido, beba também com qualquer citação a Brady pela transmissão. Sim, não consegui deixar Brady de fora. Mas como ele não joga, seu nome não surgirá tantas vezes como seria se ele estivesse em campo.

Cenário: domingo, perto do almoço (14h). Você está com amigos ou então família. Mas mesmo sozinho, a garganta pede.

 

Modo medium

Bebida: cerveja

Jogo: Green Bay Packers x Detroit Lions

 

Domingo é dia nacional da cerveja, até para quem não gosta tanto. E com os Packers na televisão, depois de uma derrota desmoralizante (para os Vikings, deixando Sam Bradford parecer um quarterback bom), Aaron Rodgers vai estar com tudo. O camisa 12 é o melhor quarterback da NFL hoje, ou pelo menos o segundo melhor. E pessoas estão duvidando de seu time. E ele joga em casa pela primeira vez na temporada regular. E a defesa dos Lions permitiu 35 pontos quando jogou com um quarterback top (Andrew Luck na semana 1).

Ou seja, tudo está desenhado. Um gole de cerveja a cada passe certo de A-Rod para um de seus recebedores. Se prepara para mais de 30 goles e caso você tenha visitas, é hora de arrumar um grande cooler.

Cenário: domingo, no meio da tarde (17h25). Chegou a hora de beber de verdade.

 

Modo hard

Bebida: caipirinhas

Jogo: Indianapolis Colts x San Diego Chargers

 

Estou pensando já em uma reunião de amigos. Churrascão. O jogo não é dos melhores, já que os Chargers tem vários buracos no elenco e os Colts também. Mas tem dois quarterbacks que adoram somar grandes números. Luck e Philip Rivers devem abusar do ataque aéreo e as duas defesas adoram aceitar big plays. E as caipirinhas serão perfeitas para cada touchdown aéreo que acontecer. Um gole grande para cada um desses TDs, o que deve dar umas 3 caipirinhas por pessoa. Chame seu amigo que gosta de fazer o drink, porque isso será divertido.

Cenário: domingo, à noite já. Sunday Night Football (21h15). O amigo idiota chega com a garrafa de Tequila. É a hora do shot.

 

Modo super hard

Bebida: o líquido dos infernos mexicanos

Jogo: Dallas Cowboys x Chicago Bears

 

Sempre tem esse momento. Você já está baleado e a decisão de beber shots parece boa por alguma razão. O jogo não será uma maravilha, com os Cowboys sendo claros favoritos contra os Bears. Mas tudo bem, de um lado tem o calouro Dak Prescott e do outro, provavelmente Jay Cutler, já que uma lesão no dedão pode tirar ele da partida. É a hora certa para beber quando acontecer um turnover.

Como você explica um turnover para seus amigos que só gostam de futebol e ainda estando bêbado? Muito simples, abre o celular neste texto e leia o conteúdo abaixo.

“Fica esperto seu imbecil. Um turnover é quando o time que está atacando faz mer*&. Ou um passe que era para o jogador de branco e foi interceptado pelo jogador de azul marinho (ou vice-versa) ou um idiota que derruba a bola no chão depois de ter o domínio dela e o outro time pega ela no chão. Bebe aí seu cuz**”

Cenário: segunda a noite. A ressaca permeou seu dia mas a semana 3 da temporada ainda não acabou

 

Bebida: suco detox

Jogo: New Orleans Saints x Atlanta Falcons

 

Seu domingo foi destrutivo. Sua segunda de ressaca. Chega de glorificar bebida. Você agora tem que se desintoxicar. Como esses sucos são difíceis de fazer, um joguinho de boa: para Saints e Falcons, tome um belo gole regenerador para cada vez que o nome Steve Gleason for citado.

Quem raios é Steve Gleason? Respondo. Em 2006, o New Orleans Saints voltava a jogar no seu estádio, o Superdome, depois que este foi reformado dos danos que sofreu na passagem do furacão Katrina. O jogo era televisionado e justo contra o maior rival, o Atlanta Falcons. Na hora de um punt – que é quando o ataque desiste de atacar e “devolve” a bola para o adversário com um chute, o mais longe possível de sua casinha, chamada de end zone – Steve Gleason, jogador dos Saints, foi mais rápido e bloqueou o punt, permitindo que os Saints fizessem um touchdown ali mesmo.

Esse é um dos momentos mais importantes da história dos Saints, um time que só perdia e depois da tragédia, se reergueu e foi campeão em 2009/10. Esse lance acima aconteceu em um Monday Night Football de 2006. Ou seja, há exatos 10 anos. O nome de Gleason será citado e você poderá brindar a ele, que se aposentou e hoje sofre com uma grave doença regenerativa. No fim, seu jogo de bebidas vai terminar com um ato nobre.

De nada.