(Divulgação / SL Benfica)

O termo “má fase” foi redefinido em Portugal. Em sua tradicional coluna para o jornal “Tribuna Expresso”, o jornalista luso Vasco Mendonça avaliou os jogadores do Benfica após a derrota por 2 x 0 em casa para o Basel, na última terça-feira, pela Liga dos Campeões. Atual detentor do título português, o time encarnado foi eliminado da competição continental com seis derrotas em seis jogos.

Ácido como de costume, Vasco não perdoou o brasileiro Douglas, ex-jogador de São Paulo e Barcelona. Ao falar sobre a atuação do lateral direito, mais uma vez pra lá de questionável, o jornalista traçou uma analogia curiosa. “Douglas é o desflorestamento da Amazônia; é o sistema judicial decadente; é o deficit da educação; é um assalto à mão armada no Rio de Janeiro; é o escândalo da Petrobras, é pau, é pedra, é o fim do caminho. Douglas é tudo o que o Brasil tiver de mau, no pé”.

Desde que foi vendido ao Barcelona, em 2014, Douglas pena para se firmar na Europa. Em seus dois anos na Catalunha, jogou poucos minutos e foi eleito várias vezes uma das piores contratações da história recente do clube. Em 2016, foi emprestado ao pequeno Sporting Gijón. Jogou mais, inclusive como meia, mas o time fez péssima campanha no Espanhol e acabou rebaixado.

No Benfica, provavelmente sua última chance num grande europeu, Douglas segue decepcionando. Foi titular em três jogos desta Champions, falhando em quase todos eles. No Campeonato Português é banco frequentemente.

Ainda em sua coluna, Vasco também mirou em Gabigol, outro que deve ter vida curta no Benfica. “Tem neste momento mais tatuagens do que decisões inteligentes com a bola nos pés”, escreveu.