A convocação de Tite para os jogos contra Equador e Colômbia passou um recado bem claro: a seleção está quase pronta para o Mundial da Rússia.

Dois setores do campo estão praticamente selados. Na defesa, Thiago Silva, Miranda, Marquinhos e Rodrigo Caio dificilmente perderão terreno. Gil, do Shandong Luneng, da China, é nome cotado, mas terá que jogar muito ou contar com uma eventual lesão para voltar a ser chamado. Ainda na retaguarda, Daniel Alves, Fagner, Marcelo e Filipe Luis também estão com o passaporte carimbado. Apesar da ótima temporada pela Juventus, o lateral esquerdo Alex Sandro terá de esperar sua vez.

Certezas também no meio-campo. Casemiro, Renato Augusto, Paulinho e Philippe Coutinho serão titulares na Rússia. Fernandinho, William e Giuliano caminham a passos largos para ocupar a suplência.

A nebulosidade começa no gol. Titular de Tite, Alisson está longe de ser unanimidade e só agora deve ganhar espaço na Roma, mas uma das vagas é dele. O outro posto é de Ederson, 23 anos, que deve ser o terceiro goleiro com potencial para assumir a vaga no ciclo para a Copa de 2022. Cassio e Vanderlei, que vivem fase iluminada, brigam por um lugar entre os três. Diego Alves, convocado para os amistosos contra Argentina e Austrália, em junho, corre por fora.

Neymar e Coutinho estão certos na Rússia (Divulgação CBF)

No ataque, a disputa é mais aberta. Excetuando Neymar e Gabriel Jesus, que estão no Mundial, as outras duas vagas na dianteira passam ainda por fase de testes. “Queridinho” de Tite, Diego Souza foi bem nos amistosos de junho, mas ficou de fora dos próximos compromissos. Douglas Costa, que foi muito bem com Dunga, parece não ter caído nas graças de Tite. Já Luan aparece com boas chances, já que pode fazer também a meia. Firmino depende de uma temporada goleadora no Liverpool para aparecer na Rússia e Taison é claramente um gosto pessoal de atual treinador, que admira o jogador desde os tempos de Internacional.

O Brasil volta a campo no dia 31 deste mês, contra o Equador, na Arena Grêmio. Cinco dias depois, pega a Colômbia, fora de casa.

2.256