Antes de resolver assistir Dark, eu tinha lido alguma coisa ou outra sobre a série ser uma espécie de “Novo Stranger Things”, ou um “Stranger Things pra adultos”. Não é bem por aí, Dark, é uma série original da Netflix, com produção 100% alemã, e que nos apresenta um viés diferente no gênero da ficção científica, e que vai fritar a sua cabecinha.

Depois de uns dois episódios você realmente encontra algumas semelhanças entre as histórias. Tudo começa depois do desaparecimento de uma criança, numa cidadezinha pacata de interior, e tem também uma misteriosa empresa envolvida. Mas na verdade as semelhanças terminam por aí, e as tramas e principalmente a forma de se contar a história são completamente diferentes.

Dark x Stranger Things

Stranger Things é cool, tem aquele monte de referência legal aos anos 80, bastante humor, e de certa forma explora fenômenos sobrenaturais. Enquanto Dark é sombria e triste, vai por uma linha mais racional, algo como religião x ciência. Prefiro não falar tanto da trama, pra que você ao assistir tenha a mesma experiência que eu tive.

Basta você saber que vai acompanhar uma mesma história, contada em diferentes épocas, e como os acontecimentos na vida dos personagens estão ligados entre o presente, passado e futuro. Dark consegue brincar em mexer na linha do tempo da nossa existência de uma forma bem legal, e um tanto quanto confusa.

O começo é o fim e o fim é o começo

O mais interessante é que apesar dos aspectos de ficção científica, isso não é o mais importante na trama, mas sim, como as pessoas reagem a certas situações, como elas lidam com seus próprios demônios, e aí que existe um abismo entre Dark e Stanger Things, porque a sensação que fica, é que realmente o nosso mundo é muito  assustador.

A série é lenta, e leva toda a primeira temporada pra te introduzir à trama. Em muitos momentos você ficará confuso, já que as histórias vão se intercalando o tempo todo e com anos de diferença, e de fato você chega até o último episódio ainda com muitas dúvidas sobre o que está acontecendo, e pra mim este é o grande trunfo da série, manter o mistério e te prender à trama durante os 10 episódios.

Me parece que os produtores tem total controle do desenrolar da história, que está longe de ser concluída nesta primeira temporada, deixando um espaço enorme pra novas temporadas. Nos resta agora aguardar o que vem por aí.