Lembra aquela história que a gente vivia dizendo sobre comprar uma boneca robô porque tornaria a nossa vida mais fácil, já que ela não fica na TPM, não briga, você não tem que levar ela pra jantar fora e ainda tem a vantagem de fazer sexo a hora em que você quiser?

Pois é!

Cientistas estão preocupados que em um futuro não muito distante isso possa realmente acontecer e não apenas acontecer, como se tornar a opinião para uma quantidade relativa de homens.

Após ser divulgado que cada vez mais homens japoneses estão substituindo as parceiras de carne e osso por bonecas sexuais, o Exército de Salvação alertou que o uso dessas bonecas incentiva a objetificação de mulheres e crianças, e a falta de respeito pelos semelhantes, tendo impacto até mesmo em casos de estupro e pedofilia.

Para se ter ideia, atualmente em alguns países asiáticos, já existem bordéis com bonecas robôs e esse tipo de mercado está crescendo cada vez mais!

Feitas de silicone e esqueleto de metal articulado, bonecas são extremamente realistas e daqui a pouco tempo, também terão a capacidade de se mover e até falar!

A mais avançada dessas empresas é a Abyss Creation, de San Diego, nos Estados Unidos, que fabrica uma boneca robô chamada Real Doll. Também de silicone, ela é bastante realista e tem tamanho natural.

No fim do ano, a empresa vai lançar a Harmony, um exemplar com inteligência artificial. Ela terá a função de mexer a cabeça e os olhos, e poderá até falar por meio de um aplicativo conectado a um tablet.

Mas como os robôs poderiam ser usados? Noel Sharkey, professor de robótica e inteligência ida Universidade de Sheffield (Reino Unido), considera algumas opções:

– “robôs prostitutas” que poderão trabalhar em bordéis;

– companhia para pessoas solitárias ou idosos;

– como um novo modelo de “cura sexual”;

– terapia sexual para estupradores e pedófilos;

Para o professor Sharkey, a última opção seria a mais problemática.

Atualmente existem bonecas sexuais que lembram crianças. A Justiça do Canadá, por exemplo, está decidindo se possuir uma delas pode ser ilegal.

Kathleen Richardson, especialista em ética na robótica da Universidade de Montfort, no Reino Unido, é da opinião de que robôs sexuais semelhantes a crianças deveriam ser proibidos — mas não vê razões para banir todas as bonecas voltadas ao sexo.

“O verdadeiro problema não são as bonecas, mas sim o comércio sexual. Os robôs sexuais são apenas mais um tipo de pornografia”, disse, em entrevista à BBC.

Prazeres e amor

O professor Sharkey diz que existe uma contradição entre o que as empresas prometem com esses produtos e o que eles podem proporcionar de fato. “Os fabricantes querem criar uma experiência mais próxima possível de um encontro sexual humano”, diz. “Mas os robôs não podem sentir amor, ternura, nem podem criar laços afetivos. O melhor que eles podem fazer é fingir”.

Fonte: R7

Leia também