Descubra o que as garotas do Testosterona CAM estão fazendo agora - 24 horas online

Só o melhor Blog tem as melhores atrizes pornô do Brasil no álbum! A lista completa dos indicados ao Prêmio Sexy Hot 2017 saiu na noite de sexta-feira (28) e nós quase morremos de orgulho por aqui. De todos os nomes, quatro delas já vestiram a camisa do Blog e fizeram fotos exclusivas para você, querido leitor.

A partir do dia 2 de maio, 14 categorias estarão abertas para votação do público no site oficial. Nós contamos com você na torcida pelas nossas “meninas”. A cerimônia de premiação será no dia 6 de junho, em São Paulo.

Relembre as atrizes que já apareceram por aqui:

Emme White

Melhor Cena de Sexo Oral
Melhor Cena de Orgia/Gang bang
Melhor Atriz Homo Feminina
Revelação do Ano Hétero
Melhor Cena Homo Feminina

Querida por aqui há bastante tempo, Emme veio com tudo nas indicações este ano, aparecendo em cinco categorias. Camgirl e atriz de filmes adultos, ela vem fazendo sucesso nas produtoras e sites brasileiros nos últimos meses.

“Como sempre fui desinibida e bem resolvida com meu corpo, prezo pela liberdade, gosto de sexo e sou a favor das mulheres fazerem o que quiserem sem medo de serem julgadas, resolvi unir o útil ao agradável. Parei de tentar me encaixar no que a sociedade esperava de mim e resolvi usar minha sensualidade como forma de sustento. Comecei como camgirl e ano passado comecei também a posar nua e fazer filmes pornô”, explica.

Bárbara Costa

Melhor Cena de Orgia/Gang bang
Melhor Cena Homo Feminina
Melhor Filme Hétero

Dois mil e dezesseis foi o ano de Bárbara. A atriz e camgirl de 28 anos pode ser baixinha, mas não é fraca. Foi uma das grandes vencedoras do Prêmio Sexy Hot em 2016  e não para de fazer sua estrela brilhar desde então. Ela levou três estatuetas, entre elas, a de Melhor Filme Hétero. Mesmo depois de se aposentar, no começo deste ano, ela ainda concorre em três categorias.

Ela foi atriz de filmes adultos por seis anos, “entre idas e vindas” e conta que tudo começou por um ato de rebeldia contra um ex-namorado: “Naquela época não fazia ideia de como o pornô era, eu fiquei interessada em fazer porque queria me vingar de um ex-namorado que era amante do pornô. Eu ainda estava machucada e era imatura, não imaginava como isso seria irreversível na minha vida”, desabafa.

Mel Fire

Melhor Cena de Orgia/Gang bang
Melhor Atriz Homo Feminina
Revelação do Ano LGBT

A versátil Mel Fire, de 26 anos, trabalha como modelo, performer exótica, atriz de filmes adultos e massagista tântrica. Viaja o mundo a trabalho, participando de feiras eróticas e trabalhando com fotógrafos em vários países.

“Eu adoro o que eu faço e meu sonho é poder fazer cada vez mais e ir mais longe. Cada vez que concluo um trabalho, me sinto mais realizada. Adoro montar meus shows e atender meus clientes. Poder unir meus dois hobbies [o trabalho e as viagens] é a combinação perfeita”, conta Mel.

Patty Kimberly

Melhor Cena de Orgia/Gang bang
Melhor Atriz Hétero
Melhor Cena Homo Feminina

Quem não acompanha o pornô nacional e vê Patty Kimberly por aí com sua doçura não acredita se eu disser que ela é uma das maiores atrizes do nosso cinema adulto. Ano passado ela deixou sua marca quando levou pra casa quatro estatuetas no Prêmio Sexy Hot. Coincidência ou não, ela é vencedora na categoria “Melhor Cena de Fetiche” por dois anos seguidos.

São mais de 350 filmes na carreira, segundo as contas dela. E podemos dizer que ela nasceu pra arte e logo encontrou alguém que deu chance ao talento: “Eu já fazia programas sonhava em ser capa de revista, aí surgiu a oportunidade de ir conhecer um estúdio onde estariam gravando um filme pornô. Fui lá pra conhecer e, no mesmo dia, o produtor já me arrumou uma cena. Fiz outro filme no dia seguinte e outra cena no outro dia”.

Bônus: Mayanna Rodrigues

Melhor Cena de Orgia/Gang bang
Melhor Cena Homo Feminina

Ela não chegou a posar como Testosterona Girl (ainda), mas recentemente gravou uma entrevista para nosso primeiro vídeo da série Papo Furado, no nosso canal do Youtube. Ela também deu uma entrevista quando foi indicada ao prêmio em 2015, contando o que mudou na sua vida depois da carreira de atriz pornô.

Mayanna entrou para as produções pornô em 2005, quando veio para São Paulo: Conheci uma garota que já tinha gravado e tinha virado booker, ele me viu dançando e me fez a proposta, achei legal e aceitei. Sempre tive interesse e curiosidade pelo pornô e pelo meio erótico no geral, já havia cogitado entrar no meio. Foi fácil”, conta.