terminator
A 2K Games anunciou nesta semana que a próxima edição da série de games de luta WWE 2K terá um participante especial: Arnold Schwarzenegger. O ex-governador da Califórnia – e um dos meus atores favoritos de filmes de ação, por sinal – participará do jogo como o robô T-800 e terá duas opções de roupagem, ambas sem armas e baseadas nos androides dos dois primeiros Exterminador do Futuro. Ele fará companhia a Dean Ambrose, Seth Rollins, Daniel Bryan e a mais de uma centena de outros lutadores, em um quadro de lutadores que promete ser o “maior da história dos games”, segundo a produtora. O teaser de anúncio você vê abaixo.

Por ora, a informação que se tem é de que o personagem estará disponível apenas para quem comprar o WWE 2K16 na pré-venda em algumas lojas norte-americanas – um bom chamariz para os fãs da série de wrestling. Mas não seria surpresa nenhuma se ele fosse lançado mais tarde como um DLC (aqueles conteúdos que você compra à parte) ou, quem sabe, até como um lutador “desbloqueável”, dando continuidade a uma tradição milenar nos games de luta. Aproveitando o gancho de Schwarzenegger (o trocadilho foi sem intenção), então, selecionei outros quatro personagens extras memoráveis de jogos de dar porrada. A lista também tem mais dois bônus, que são mais curiosos do que marcantes, mas vá lá. Confira:

Akuma

akuma.
O primeiro da lista é quase tão famoso quanto o Exterminador, ao menos quando o assunto é videogame. Mestre em Ansatsuken, Akuma apareceu pela primeira vez em Super Street Fighter II Turbo, de 1994, como um chefão surpresa dos mais apelões. Ao menos na versão original do jogo, só era possível usá-lo nas lutas executando uma sequência na tela de escolha de personagens. O Akuma desbloqueável de verdade veio a aparecer só nos Street Fighter Alpha 2 e 3, no Street Fighter III 2nd Impact, nas versões de SSFII para Game Boy Advance e Dreamcast e, mais recentemente, no Street Fighter IV.

Reptile

reptile
Outro personagem icônico, Reptile nasceu como um lutador secreto do Mortal Kombat original, que só podia ser enfrentado se determinadas condições fossem atendidas. Era preciso conseguir uma vitória perfeita (sem ser atingido e sem bloquear golpes), realizar a luta no Bridge Stage, finalizá-la com um fatality e ainda torcer para que uma silhueta aparecesse sobre a lua. Fazendo tudo isso, uma mensagem aparecia na tela e o combate era iniciado embaixo da ponte onde a outra luta acontecera. O Reptile original era um ninja verde, tinha os poderes de Scorpion e Sub-Zero e era bem mais rápido que ambos. Mas só era possível desbloqueá-lo e usá-lo nas lutas na versão do jogo para Game Boy Advance – o que é uma pena, já que a adaptação para o portátil da Nintendo foi sofrível. A boa notícia é que Reptile se tornou jogável a partir do segundo Mortal Kombat. No 9, por sinal, dá até para recriar a primeira luta e vestir o personagem com a roupa de ninja verde que ele trajava originalmente.

Bruce Lee

https://www.youtube.com/watch?v=wMBh-OkQW08

O ator e lutador que venceu Chuck Norris nunca chegou a lutar no UFC. Mas por misturar diferentes estilos, Dana White, o presidente da entidade, o considera o pai da modalidade. E talvez isso tenha sido motivo suficiente para que a Electronic Arts colocasse Bruce Lee como um personagem extra em EA Sports UFC, lançado no ano passado. O lutador podia ser adquirido como um DLC ou desbloqueado em todas as categorias de peso caso o jogador completasse o modo carreira no Hard. Parece complicado, mas Lee chegou a superar Jon Jones e Georges St-Pierre em popularidade no game um mês após o lançamento, sendo o personagem mais utilizado pelos jogadores até o meio do ano passado.

Mewtwo

mewtwo
Saindo dos games de luta mais sangrentos, o jogo que coloca diversos personagens de franquias da Nintendo para trocar socos, chutes e poderes especiais também tem um dos lutadores extras mais bacanas: o Pokémon psíquico Mewtwo, um dos mais poderosos do anime, do mangá e do jogo de Game Boy. Desbloqueá-lo em Super Smash Bros. Melee, lançado em 2001 para o Game Cube, era um desafio por si só: o jogador precisava participar de 700 lutas no modo Versus ou jogá-lo sozinho por 20 horas (ou 10h, caso estivesse com um amigo). Feito isso, o personagem aparecia na lista de selecionáveis, pronto para usar seus poderes psíquicos nas lutas. Mewtwo não voltou em Super Smash Bros. Brawl, do Wii, mas pode ser comprado separadamente na versão do jogo para Wii U e 3DS.

Extras: Barney e Hornet

Agora vamos aos jogos um tanto mais obscuros. Lançado para PCs em 1995, Xenophage: Alien Bloodsport rodava no DOS e tinha Barney, o dinossauro roxo que canta “amo você, você me ama”, como lutador secreto. Sim, isso mesmo. Para lutar contra ele, no entanto, era preciso modificar um arquivo do jogo, o que liberava um personagem ainda mais quebrado e bugado do que o próprio jogo. Ainda assim, vale pela curiosidade.

Fighters Megamix, por sua vez, misturava diversos personagens da Sega bem ao estilo Super Smah Bros., e saiu para o Sega Saturn entre 1996 e 1997. Seu personagem extra mais bizarro era Hornet, que era na verdade um carro daquele jogo Daytona USA que você provavelmente já jogou. Novamente: sim, isso mesmo. Ao contrário de Barney, ele era jogável, e para liberá-lo era preciso apenas terminar o Course I. Nas lutas, o veículo fica em “pé”, usando as rodas traseiras de apoio, e luta boxe com as rodas dianteiras. É sério.

gustavo