Você está imerso no mundo do personagem de um livro, quando descobre que ele tem prosopagnosia. E só vai entender o que isso significa algumas frases depois: ele não consegue reconhecer o rosto de ninguém. Nem o dele mesmo. Ao aprender essa nova palavra seu cérebro despertou as mesmas áreas de prazer que ativa durante o sexo. É por isso que ler pode ser tão prazeroso quanto uma noitada de sexo.

Ler um livro pode ser tão bom quanto sexo

Foi essa a descoberta de pesquisadores alemães e espanhóis. Eles pediram a 36 adultos para ler um texto cheio de palavras possivelmente desconhecidas, enquanto tinham seus cérebros escaneados. E perceberam que ao aprender palavras novas, o cérebro desses voluntários aumentava as atividades na região do corpo estriado, associada ao sistema de recompensa. É a mesma área ativada quando comemos, fazemos sexo ou usamos drogas.

Segundo a pesquisa, desenvolver a capacidade de linguagem aumentou as chances de sobrevivência do homem no mundo selvagem. Era mais fácil formar grupos e se unir contra as ameaças quando a comunicação fluía bem. E por isso o cérebro deu uma força ativando as áreas de prazer.

book

Fonte: Super Interessante

1.471

Leia também