porn
É verdade que a pornografia move o mundo? Uma a cada quatro pesquisas que fazemos em sites de busca na internet tem conteúdo sexual. E as mulheres, quem diria, são gran­­­de parte dis­­­­­­­­­­­­­­­­so. Esses e outros dados que mostramos abaixo  foram compi­­­­­­­lados e divulgados pela re­­­­­­­­­­­­­vista americana The Week e pe­­­­­­­­­­­lo site francês Stimuli Curieux et Insolites.

Parece droga. Cientistas da Universidade de Cambridge estudaram recentemente o cérebro de pessoas que consomem muita pornografia e levaram um susto: ele funciona exatamente da mesma forma que o cérebro de viciados em drogas. O lobo frontal foi a área que mostrou muitas similaridades. Esta é a região responsável, entre outras coisas, pela formação de nossos julgamentos – nos ajuda a decidir o que é certo ou errado, bom ou mau, seguro ou perigoso.

De acordo com a The Week, a indústria pornográfica mo­­­vi­­­men­­­­ta, no mundo, US$ 97 bilhões to­­dos os anos. O pornô apenas nos Estados Unidos é responsável por quase 13% desse montante – e a net, por metade disso. Veja nos números a seguir a quantas an­­­­da a nossa relação com a pornografia na rede.

70% dos homens com idades entre 18 e 24 anos visitam sites pornôs ao menos uma vez por mês

1 em cada 4 pessoas que entram em sites pornôs é mulher

12% dos sites que existem na internet são pornográficos – ou, em números atuais, 76,2 milhões

25% das pesquisas em ferramentas de busca envolvem sexo – o que dá 750 milhões de consultas diárias

35% dos downloads são pornográficos

8% dos e-mails mandados diariamente têm conteúdo sexual

89% de toda a pornografia da internet é criada nos EUA

20% dos homens confessam que veem pornografia no meio do expediente de trabalho

266 novos sites pornôs surgem na internet todos os dias