Não era preciso ser nenhum gênio pra chegar à uma conclusão dessas. Mas eu explico, a reportagem foi liderada por uma mulher, a pesquisadora Christine Stanik, da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos.

Christine concluiu que as mulheres burras (rendundância isso) tendem a procurar homens ricos para se relacionar. (na verdade qualquer mulher quer isso né.)

A notícia foi publicada pelo tabloide britânico Daily Mail e não explica como Christine chegou a essa conclusão (você consegue imaginar um método para esse estudo? Será que ela fez um teste de QI nas mulheres e, depois, uma análise da conta bancária de seus parceiros?).

Mas traz a teoria da pesquisadora sobre o porquê da conclusão. Não que as mulheres com menos QI sejam mais gananciosas do que as demais. Elas só sabem, mesmo inconscientemente, que precisam achar uma forma de dar uma vida confortável aos seus filhos. Como, ao que parece, não vão conseguir isso com o próprio trabalho, recorrem ao parceiro. Correr atrás de um homem que as sustente seria “apenas natural” para as mulheres com pouca educação e quase nenhuma perspectiva de carreira.

Fonte: Revista Época