Testosterona CAM - 24 horas online.

Este foi o ano dos “Nudes”, o termo tem tudo para ser a palavra mais popular na internet em 2015. Com a popularização do Snapchat, nunca foi tão simples e prático enviar um nude (foto pelada em bom português) para alguém. Mas a dinâmica do compartilhamento de fotos sensuais ou sem roupa é bem antiga e existe desde os primórdios da internet.

Desde que a web ficou popular, há menos de 20 anos, os sites de pornografia mantêm uma audiência larga e um volume de conteúdo incrivelmente vasto. Segundo estudo da ExtremeTech, mais de um terço de todo o tráfego é pornôs. Já o compartilhamento da própria intimidade é mais recente. Sites e aplicativos foram buscando formas mais simples para quem quer se exibir pelado na web sem precisar montar um site ou um servidor para abrigar as imagens e vídeos.

Um dos primeiros ambientes para postagens de fotos foi a comunidade de blogs do Blogger, posteriormente comprado pelo Google. E esse ambiente não parou de crescer, mesmo com o surgimento de outros espaços mais sofisticados para publicar nudez, como o Tumblr, outro paraíso para quem procura conteúdo adulto. Existente há alguns anos, o Tumblr do Testosterona compartilha os nudes que nossas leitoras nos mandam diariamente.

nudes

Nudes enviados pro Tumblr do Testosterona por leitoras pelo Snapchat

No início deste ano, o Google ensaiou excluir todos os sites pornográficos ativos no Blogger, mas acabou voltando atrás. O Tumblr, comprado pelo Yahoo!, também está restringindo o acesso ao conteúdo adulto, deixando esses blogs mais difíceis de serem encontrados. Em 2009, um site russo chamado ChatRoulette chamou atenção da mídia por promover o encontro aleatório de pessoas ao redor do mundo usando webcam. Era o suficiente para todos os voyeurs e exibidos se relacionassem sem medo e de maneira efêmera. Caso você não gostasse do que visse do outro lado da câmera, bastava apertar o botão da roleta que outro anônimo aparecia. Criado pelo russo Andrey Ternovsky, com apenas 17 anos na época, o site fez um enorme sucesso passando de 50 usuários para 1.5 milhão em menos de um ano.

Outros sites de transmissão de vídeos também ficaram populares como uma espécie de “strip virtual”. O site Twitcam fez sucesso em meados de 2012 ao permitir que qualquer pessoa fizesse um vídeo ao vivo através da webcam. Celebridades como Andressa Urach e astros pornôs fizeram fama em strips nessa rede. A atualização dessa ferramenta é o Periscope, comprado pelo Twitter, e o concorrente Meerkat, que permitem transmissão para audiências usando a câmera do celular. Outra frente de stip virtual, são os sites de strip online, onde as CamGirls fazem a transmissão ao vivo pra você. O Testosterona também aderiu o criou o Testosterona CAM.

testosterona-cam

Dezenas de CamGirls estão online no Testosterona CAM diariamente

Surgido em 2011, o Snapchat é uma das redes de maior crescimento na internet. Com um valor de mercado estimado em quase US$ 20 bilhões, o aplicativo enviou 700 milhões de fotos e vídeos por dia em 2014. A plataforma tem sido usada bastante para envio de “nudes”, sobretudo porque sua dinâmica auxilia o compartilhamento. A pessoa que recebe a imagem ou vídeo só pode ver o conteúdo por um determinado período de tempo e apenas por duas vezes.

Por todos esses motivos, mandar Snaps de nus tem se tornado bem popular. E mais perigoso também. No ano passado, um ataque hacker vazou um pacote com 13 GB de fotos de usuários. O problema não foi no servidor do Snapchat, mas, sim, por causa de brechas de segurança em aplicativos de terceiros usados para salvar as imagens, como o SnapSave o SnapCapture.

Apesar das críticas, o Snapchat é uma plataforma dos nossos dias e é impossível ignorá-lo. Mas é preciso ficar vigilante. Com o sucessos dos nudes, aumentaram também os perigos com a exposição. Um dos mais tristes filhotes desse momento atual é o “porn revenge” ou pornô da vingança. Trata-se da exposição não consentida de imagens íntimas. As maiores vítimas têm sido as mulheres, sobretudo adolescentes. Grande parte dos vídeos e fotos são compartilhados através do WhatsApp e logo se viralizam.

A ONG Safernet iniciou uma campanha alertando para o revenge porn. Gigantes da internet como Microsoft e Twitter também se uniram à luta contra o pornô sem permissão e o cyberbulling. O fórum Reddit e o Google também possuem políticas para coibir esse tipo de conteúdo.

Os nudes nunca deixarão de ser populares, mas, como tudo na internet, é preciso estar ligado.