• Sabe a ressaca? Ela piora com a idade

    Por: | Em: Notícias | 27 de fevereiro de 2014

    ressacaFesta de faculdade é sempre mais ou menos assim: muita cervejavodca barata misturada com refrigerante, disputas para ver quem vira primeiro o copo de bebida. E no dia seguinte recomeça tudo outra vez. Com o tempo essa loucura fica pra trás. E você começa a se lembrar disso tudo meio descrente: como é que o corpo aguentava tudo aquilo? É, coisas da idade. Quanto mais velho você fica, pior é a ressaca.

    Quem vem tentando entender as razões disso é Young Chul Kim, um toxicologista e pesquisador da Coréia do Sul. Ele conduziu uma série de pesquisas e comprovou que, sim, nosso corpo responde pior às bebedeiras quando envelhecemos.

    É que a ressaca aparece quando o fígado não dá conta do recado. Ou seja, não consegue concluir o processo de metabolização do álcool, feito em duas etapas: etanol vira acetaldeído (substância tóxica responsável pelos sintomas da ressaca), que vira acetato. Só que o fígado só consegue metabolizar um drink por hora. Se passar disso, seu corpo vai acumular acetaldeído. Aí pode esperar pela ressaca.

    E quanto mais velhos ficamos, mais tempo o fígado precisa para desencadear o processo dedesintoxicação. Logo, maior a concentração de acetaldeído no corpo.

    Mas essa não é a única possível explicação. A culpa pode ser também dos ganhos ou perdas de peso. “Quando o peso do corpo de alguém aumenta, o nível de álcool no sangue diminui, uma vez que se distribui pela massa e gordura do corpo. Isso leva a pessoa a beber mais sem se dar conta”, explica Kim. “Quando alguém perde peso e bebe a mesma quantidade de antes, a intoxicação aumenta devido à distribuição limitada do álcool pelo corpo”, finaliza.

    Entendeu por que você nunca mais vai conseguir beber como antes?

    Via Ciência Maluca.

  • Novo app reúne viajantes e traz economia de 40% em transporte

    Por: | Em: Publieditorial | 25 de fevereiro de 2014

    WeGo
    As redes sociais ou o boca a boca eram, até então, a forma de encontrar uma carona para viagens, ir visitar a família ou conhecer alguém para dividir a gasolina.

    A partir do dia 24 de fevereiro, chega ao Brasil um novo aplicativo que torna essa busca por caronas de longa distância mais fácil e segura. Criado em Israel (berço de aplicativos de logística e transporte como o Waze) o app WeGo reunirá pessoas interessadas em dividir o carro e economizar na viagem. A redução de gastos com o transporte em uma viagem compartilhada é de, no mínimo, 40%.

    Para Ayal Zaum, CEO do WeGo, o objetivo é facilitar a vida dos viajantes, tornando o trajeto mais agradável e econômico. “O WeGo é recomendado para pessoas que moram longe do trabalho ou que viajam frequentemente e não é uma competição com serviços de transporte, nem visa ser uma fonte de renda para o motorista”, explica Zaum. “Nosso objetivo é reunir pessoas que precisam ir para o mesmo lugar e querem gastar menos. Além disso, pretendemos que o aplicativo ajude na diminuição da poluição das cidades, pelo fato de a quantidade de carros diminuir”, completa ele.

    O funcionamento é simples. Os interessados fazem o download gratuito do aplicativo pelo Google Play ou pelo site wegocaronas.com.br e se cadastram no sistema. Quem dirige e quer oferecer uma vaga, cadastra o destino, hora de saída e chegada, além de uma sugestão de doação para as despesas da viagem. Quem precisa de carona, encontra os carros disponíveis para a data e o destino desejado. O pagamento da doação combinada entre motorista e carona pode ser feito com cartão de crédito por meio do aplicativo.

    weGo1
    Outra preocupação da empresa é a segurança. O passageiro pode escolher ir com o motorista mais bem avaliado. Quem dirige também pode escolher se aceita ou não o pedido de carona de um passageiro após ver a sua reputação. É feita uma análise dos cadastros dos usuários e, após o trajeto, motorista e passageiros podem dar notas para a corrida. “As avaliações serão mostradas no aplicativo, para ajudar na hora de escolher o parceiro de viagem”, explica.

    Estreia no Brasil

    “A Copa do Mundo, as longas distâncias, e o enorme potencial turístico do país motivaram a escolha do Brasil para o lançamento”, afirma Alessio Alionço, responsável por trazer o app ao país. O foco do WeGo não é competir com táxis nem atrair motoristas profissionais. Sua missão é melhorar a vida de quem já viaja sozinho de carro, ou de ônibus. Na Europa, os aplicativos de carona já são muito populares. O inglês Carpooling e o francês Blabla Car juntos, por exemplo, já reúnem mais de 15 milhões de usuários. Agora, chegou a vez do Brasil.

    Clique aqui para baixar

  • Inglesa deixa barba crescer e diz que sente mais sexy

    Por: | Em: Notícias | 25 de fevereiro de 2014

    barbuda1
    Harnaam Kaur, 23, é uma inglesa que trabalha como assistente de professora em escola primária e sofre da síndrome de ovários policísticos. Um dos sintomas das mulheres que sofrem dessa síndrome é o excesso de pelos e no caso de Kaur eles são constantes no seu rosto, braços e peito desde os 11 anos. Durante sua adolescência, a inglesa chegou a se depilar duas vezes por semana, também tentou clareamento e até mesmo fazer a barba com lamina de barbear, mas os pelos se tornaram mais grossos e começaram a se espalhar.
    barbuda2
    “Eu não queria mais remover o pelo do meu rosto, pois a maneira como Deus me criou foi essa, e estou feliz com a maneira como sou”, disse ela ao Mirror, justificando a decisão baseada na sua religião, que proíbe que as mulheres se depilem. “Me sinto mais feminina, mais sexy. Aprendi a me amar pelo que sou”, complementou. Apesar de muitas vezes ser confundida com um homem, ela diz que se sente muito mais feminina agora.