• Esse é macho: Renato Gaúcho

    Por: Edu | Em: Esse é Macho | 22 de outubro de 2010

    Todos os quase 1,3 mil gols de Pelé equivalem ao número de mulheres conquistadas por Renato Gaúcho. Esta é a matemática do treinador gremista.

    Perguntado em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira sobre o aniversário do Rei, que completa 70 anos no sábado, um dos frasistas mais folclóricos do futebol brasileiro recorreu à equação inusitada.

    - Um dia conversei com o Pelé. Uma brincadeira, nem deveria contar. Mas vou contar. Pelé disse para mim que fez mil gols. E eu respondi que cada gol dele equivalia a uma mulher minha. E ele parou nesses 1,2 mil, hein – disse Renato, provocando gargalhadas entre os repórteres e precipitando o final da conversa.

    Isso me lembra esse vídeo ÉPICO de quando o Renato Gaúcho jogava no Cruzeiro

  • Sex Music – Crazy Bitch

    Por: Acid Girl | Em: Acidez Feminina | 22 de outubro de 2010

    A partir de hoje, toda sexta-feira vou colocar uma sugestão de música pra ser usada na hora H, as músicas não serão sempre love songs, vou tentar alternar entre todas as possibilidades possíveis e sempre haverá uma descrição em cima da música para poupar vocês de terem que escutar uma música que não te interessa.

    A música de hoje é para ajudar vocês a darem um “empurrãozinho” naquela garota que acha que só você tem que ter o trabalho de se mexer na cama. A dica é: Coloque a música no meio da trilha sonora de maneira que quando a música começar a tocar vocês já terão iniciado o processo.

    Se a garota não demonstrar empolgação ou movimentos consideráveis com essa música, ligue para o IML porque ela só pode estar morta.

  • Links da semana

    Por: Edu | Em: Links da Semana | 22 de outubro de 2010

    Twitter: Siga nos no twitter

    Imagem: O relacionamento entre homens e mulheres visto de outra forma

    Participe: Qual seu blog favorito?

    Atualize-se: Busque conhecimento

    Leitoras +18: As leitoras que amam o Testosterona

    Imagem: Mulher do jeito que os homens gostam

    Futebol: Os jogadores mais odiados do Brasil

    Imagem: Sexo para nerds

    Teste: Você manja mesmo de música?

    Música: Quem sabe faz, quem não sabe assiste

    Lista: Os carros dos blogueiros

    Lista: 10 piores lugares para se fazer sexo

    Estudo: As 3 fases da vida de um computador

    Twitter: Twittadas medonhas

    Dúvida: Qual religião seguir, amigos?

    Política?: Vote na Deeercy

    Vídeo: Katy Perry um pouco diferente

    Tirinha: Como fazer uma mulher nunca mais te largar

    Vídeo: Uma tarde com Aretuza no parque

    Futebol: Ronaldinho Gaúcho Show

    Humor: Como agir em situações estranhas

    Lista: 5 mandingas que as mulheres usam na balada

    Humor: Frases de porta de banheiro

    Tutorial: Como brincar com o seu gato

    Curiosidades: O ABC do Google Imagens

    Notícia: A mulher mais volúvel do mundo

    Blog: Mentirinhas

  • Rapidinha com o Leitor – O escroto

    Por: Acid Girl | Em: Acidez Feminina | 21 de outubro de 2010

    A Rapidinha com Leitor está entre nós e voltou com força total com a história do A.L. que me enviou essa história á séculos atrás, mas ela era boa demais pra cair no esquecimento. Aprendam a lição, garotinhos:

    “Acho que um das grandes missões do homem nesta vida (na acepção de “sexo masculino” de orientação sexual normal) é encontrar amigas ou “conhecidas” (mulheres, aqueles seres que gostam de rôla) que gostem de fazer sexo sem compromisso, a famosa “amizade colorida”, sem traumas nem dor de cabeça. Tô falando de amigas de verdade, de carne e osso (ia dizer de bunda e peito… dããã), que você conversa ao vivo e dá aquela “secada” básica, não daquelas que se encontram na internet…

    Então tá. Um dia encontrei a minha amiga. Felicidade total. Um mané como eu tinha que ficar feliz mesmo e agradecer aos céus (é heresia falar assim?). Mas aí deu que a “amizade colorida” durou só um dia (a outra amizade durou mais, mas aí não me interessava tanto…). Sabe por quê? Eu tentei dar uma de escroto quando não deveria. E uma coisa eu aprendi: se você não é escroto, não tente ser escroto!

    Vamos aos fatos. Mulheres que dão muito fácil geralmente viram notícia entre os homens. É quase uma questão de sobrevivência da própria raça e fator de afirmação social espalhar que comeu fulana. Daí se a fulana deu pra mais de três, a notícia se espalha muito mais rapidamente. E então eu soube através de um comilão que ela havia dado pra mais de três e, tcharaaam, prontamente entrei na fila, esperando a oportunidade. Quem sabe um dia ela olhava pros meus olhos (que a comiam) e pensava “vou dar pra esse cara”?

    Aí ela resolveu dar mesmo. Uia! Não vou dizer como ela apareceu lá em casa quando estava sozinho pra não alongar tanto o texto, mas o fato é que ela foi dressed to kill demais pra eu deixar passar em branco. Afinal, usar blusa de alça sem sutiã deixa qualquer um armed and dangerous (se seu ingrês anda mal, problema o seu). Foram quase duas horas de conversa jogada fora até que usei a velha tática de pegar alguma coisa perto dela e deixar o cotovelo encostar sem querer nos peitos! Aí se a mina não reclamar, ou ela tem os peitos dormentes (chance de 0,01%) ou já autorizou a “festa na floresta” (99,99% yeeeaaahhh!!!).

    Festa na floresta iniciada, chupa peitões, tira calcinha, mão naquilo, aquilo na mão, bota a camisinha, engata um cachorrinho. E não é que ela adorava putaria da braba? Quando deu aquele intervalinho depois da primeira, eu já recarregando as baterias, foi aí que deu-se a merda!

    Pelada e deitada na minha frente, com cara de Lucélia Santos em “bonitinha mas ordinária”, ela deixa de lado por uns instantes a “porção puta” e me pergunta docemente:

    - Me diz… há quanto tempo você é afim de mim?

    E eu, me achando o maior escrotão da face da terra (afinal estava diante de um “boi manso”, como diz aquela gíria meio ridícula), dou uma risada e, achando que ela era puta demais e só queria “trepar, trepar e trepar e não ter a vergonha de ser feliz”, falo prontamente:

    - Olha, faz uns 10 minutos!

    O resto da história é triste demais para eu contar os detalhes. Só sei que ela vestiu a roupa rapidamente e aquela cara de decepção, sem viadagem nenhuma, me cortou o coração. Tentei contornar a “cagada”, mas atrás do meu sorriso amarelo estava um homem quase em desespero em busca da buceta perdida! Aí meu amigo, não tinha mais jeito. Não teve remendo que contornasse a situação. Ela foi embora com aquela cara indignada de “olha eu não sou piranha” ou de “eu gostava de você mas você é um crápula”, enquanto eu tive que me contentar depois com uma punhetinha solitária pra descarregar o resto da pistolinha (obs: bater uma punheta com um gosto de buceta na boca – de verdade – é meio surreal).

    Não precisa nem dizer que depois disso ela esfriou pro meu lado e nunca mais tive a oportunidade de continuar o serviço. Até liguei umas duas ou três vezes pra casa dela e depois da terceira desculpa esfarrapada para não sair comigo, entendi o recado! Acho que ela resolveu dar pra um outro alguém com um mínimo de romantismo e também canalhice suficiente pra mentir descaradamente e dizer algo do tipo “olha gostosa… sempre teve uma quedinha por você”.

    Então amigos… experiência própria! Se você não é escroto, não tente ser escroto! Eu como não sou escroto, não tinha outras amigas afim de me dar a buceta e morri na mão, literalmente”.

    Moral da história: Por mais que a mulher seja ‘liberal’, cabeça aberta e dada, ela ainda gosta de se enganar que é pura e casta. Um bom cafajeste trata todas as mulheres com pseudo romantismo e delicadeza e com isso sempre garante a segunda foda.

    ___________

    Você que não conhecia a ‘coluna’ Rapidinha com o Leitor e gostaria de ter sua história publicada aqui, envie e-mail para [email protected]

    Que fique claro que só serão divulgadas histórias divertidas e engraçadas, não venha com e-mail chorosos e dramáticos no meu e-mail.

    Mulheres também podem mandar suas histórias.