• Comer carne é coisa de macho, diz pesquisa

    Por: Edu | Em: Notícias | 22 de maio de 2012

    Responda à pergunta: comer um bife sangrando parece mais coisa de homem ou mulher? E devorar uma barra de chocolate? Pois é. Foi com perguntas como essas que alguns pesquisadores americanos perceberam a relação entre a carne e o mundo masculino. Eles queriam entender por que homens, geralmente, comem menos vegetais do que as mulheres (não, não tem nada a ver com dieta). E a pesquisa concluiu que, para eles, comer carne parece mais coisa de homem do que pedir uma saladinha.

    Para comprovar, mais de 300 alunos classificaram 23 comidas, numa escala de 0 a 10, como femininas e masculinas (0 era “nem um pouco [feminino ou masculino]” e 10 “extremamente”). E adivinhe? O bife mal passado foi eleito o rei das comidas masculinas, seguido por hambúrguer, bife bem passado, carne moída com chili e frango. No mundo feminino, o primeiro lugar ficou com o chocolate, óbvio. Depois apareceram pêra, salada de frango, sushi e frango.

    Em outro teste, os alunos leram descrições sobre meninos e meninas, incluindo os hábitos alimentares de cada um deles. E, para eles, quem comia carne bovina parecia muito mais macho do que quem comia peixe ou só vegetais. Mas isso é herança dos nossos antepassados. Quando precisávamos da caça para sobreviver eram eles, os homens, que cuidavam da tarefa. Logo, a carne era associada aos machos fortes e guerreiros da tribo.

    A publicidade também dá uma mãozinha para manter essa relação. Já viu algum comercial de carne, tipo aqueles sanduíches com três hambúrgueres e bacon, ser estrelado por uma mulher? Mas se a ideia é vender a nova salada, aí tudo bem convidar uma atriz.

    Fonte: Super Interessante

  • Estudo explica porque mulheres preferem os cafajestes

    Por: Edu | Em: Destaques, Notícias | 21 de maio de 2012

    A resposta, segundo o estudo, está nos hormônios femininos e na bagunça que eles provocam na capacidade de julgamento das mulheres. Durante o período de ovulação, esses hormônios acabam influenciando a sua visão do que é um bom parceiro em potencial: elas passam a preferir os homens mais bonitos e sensuais e dar menos importância a fatores como a confiabilidade.

    Para chegar a essa conclusão (que está publicada no Journal of Personality and Social Psychology), os pesquisadores mostraram a mulheres perfis de sites de namoro de homens do tipo mais sexy e cafajeste e do tipo mais confiável (o que provavelmente significava que eram bonzinhos, mas não providos de tanto sex appeal). Elas tiveram que avaliá-los durante períodos de fertilidade alta e baixa e dizer, em cada uma dessas ocasiões, como achavam que eles se sairiam como pais caso tivessem um filho juntos.

    Resultado: quando as voluntárias estavam sob a influência dos hormônios da ovulação, elas achavam que o homem mais sexy contribuiria mais para tarefas domésticas como cuidar do bebê, comprar alimentos e cozinhar. Segundo Kristina Durante, uma das autoras, nesse período “as mulheres se iludem em pensar que os bad boys se tornarão parceiros dedicados e pais melhores. Ao olhar para eles através dos ‘óculos da ovulação’, o Sr. Errado vira o Sr. Certo”.

    Em um segundo teste, as coisas ficam mais interessantes (para as voluntárias): elas tiveram que interagir pessoalmente com atores do sexo masculino que fizeram os papéis de cafajeste sexy e pai confiável. Isso também aconteceu duas vezes, uma durante seu período de ovulação e outro durante baixa fertilidade. E de novo as mulheres na primeira condição acharam que o bad boy (e não o PAI confiável) contribuiria mais para o acolhimento de uma criança.

    Mas olha o truque desses hormônios para empurrar as mulheres para os braços do cafa: a ilusão do bom pai só vale para a hipótese de eles terem um filho com elas, não com outra mulher. Quando tinham de responder que tipo de pai um homem assim seria caso tivessem um filho com outra pessoa, elas eram rápidas em apontar os seus possíveis defeitos. No entanto, caso elas próprias fossem a mãe, a coisa mudava de figura e os bad boys viravam um ótimo pai para seus filhos.

    Fonte: Super Interessante