• Homens que ganham menos que as esposas broxam mais

    Por: Eduardo Mendes | Em: Notícias | 08 de setembro de 2013

    broxa
    Pesquisadores da Universidade Washington, nos Estados Unidos, analisaram os dados de 569 mil casais que foram acompanhados durante 10 anos (de 1997 a 2006). A ideia era ver as mudanças salariais de cada um e como andava a vida sexual do casal. E, olha só, quando a mulher passava a ganhar mais do que o homem, eles precisavam se apoiar nos estimulantes sexuais.

    Só que isso acontecia apenas quando os homens, antes “provedores da casa”, começavam a ganhar menos do que elas. Aí mexia com o ego masculino. E refletia negativamente na cama. “Nesses casos, até as pequenas diferenças na renda são associadas a grandes mudanças no uso desses medicamentos”, explica Lamar Pierce, líder da pesquisa. Na verdade, segundo a pesquisa, só de ganhar 500 dólares a menos que elas por ANO (!), os riscos de brochar aumentam 10%.

    Fonte: Super Interessante

  • O ciclo da traição

    Por: Eduardo Mendes | Em: Vídeos | 08 de setembro de 2013

    Murilo Gun traz em seu canal uma teoria muito válida sobre o ciclo da traição. Puladores de cerca, prestem atenção pode fazer muita diferença:

  • Promiscuidade de fêmeas melhora qualidade da prole, aponta estudo

    Por: Eduardo Mendes | Em: Notícias | 07 de setembro de 2013

    promiscuidade
    Uma nova pesquisa britânica aponta que a promiscuidade pode ser benéfica para as fêmeas, ao aumentar a qualidade genética de suas futuras gerações. O estudo da Universidade de East Anglia analisou a espécie galo-banquiva (Gallus gallus), um parente selvagem da galinha doméstica.

    Segundo os resultados – publicados esta semana na revista científica “Proceedings of the Royal Society B”, em parceria com a Universidade de Oxford, na Inglaterra, e as universidades de Estocolmo e de Linköping, na Suécia –, o acasalamento de fêmeas com diferentes machos produz descendentes mais resistentes a infecções e doenças. Isso ocorre por um mecanismo interno e subconsciente (causado pelo cheiro do macho, por exemplo) chamado “escolha feminina oculta”, em que o trato reprodutivo da fêmea favorece espermas geneticamente diferentes entre si.

    “Esse poderia ser o caso em outros animais – incluindo os seres humanos. No entanto, a funcionalidade do teste em mamíferos seria muito difícil, e obviamente impossível em humanos por motivos éticos”, diz o principal autor, David Richardson.

    No trabalho, foram analisados acasalamentos naturais e também inseminações artificiais – nesse processo em laboratório, porém, o efeito da “escolha feminina oculta” se perdeu. De acordo com os pesquisadores, em uma reprodução assistida os filhotes se tornam geneticamente mais fracos. Os cientistas agora acreditam que a descoberta pode ser importante para criadores de animais e projetos de conservação, ao permitir acasalamentos que gerem populações mais saudáveis e fortes.

    Fonte: G1

  • 4 gostosas e uma Lamborghini

    Por: Eduardo Mendes | Em: Vídeos | 07 de setembro de 2013

    Lamborghini é algo lindo, e a lavagem delas feita por quatro gostosas de biquíni é mais lindo ainda. Confira esse vídeo maravilhoso: