Descubra o que as garotas do Testosterona CAM estão fazendo agora - 24 horas online

“Love”, longa do diretor argentino Gaspar Noé, foi vaiado na sessão para a imprensa no Festival de Cannes na última quinta-feira (21). O filme mostra cenas de sexo explícito, incluindo closes de ejaculações em 3D, penetrações, masturbação em nu frontal, sexo oral e orgias.

love-filme-pornô-3

O filme, que já vinha causando polêmica desde a divulgação dos cartazes oficiais, não entrou para a competição do Festival, mas foi a sessão mais disputada e comentada da semana. A obra é de Gaspar Noé, o mesmo diretor do chocante “Irreversível” (2002), perturbador pelas cenas de estupro e assassinato. Coproduzido por um brasileiro, Rodrigo Teixeira (RT Features), teve a honra de ser o primeiro filme pornô em 3D a passar na seleção oficial do Festival.

Trata-se de um romance centrado no sexo, narra as memórias de Murphy (Karl Glusman), um americano estudante de cinema que está morando em Paris e apaixona-se por Electra (Aomi Muyoc), uma aluna de arte, mas estraga tudo ao engravidar a vizinha, Omi (Klara Kristin). São pouco mais de 2 horas de ejaculações em 3D, penetrações, masturbação em nu frontal, sexo oral e orgias.

love-filme-pornô

Noé disse em entrevistas que o filme é sobre “estar apaixonado do ponto de vista do sexo, com todos os excessos físicos e emocionais” e que seria difícil “fazer isso sem mostrar genitálias”.

Ainda sem data para estrear no Brasil, “Love” não terá partes cortadas para baixar a classificação indicativa. O filme será exibido pela distribuidora Imovision (a mesma de Azul é a Cor Mais Quente), na íntegra, com censura de 18 anos, claro.

Veja uma cena do filme:

coluna-fran-nova