Bohit, um usuário da rede social Reddit, que participa de um grupo denominado “NoFap” (“Sem Masturbação”, em tradução livre), deu seu depoimento na rede após a completa abstinência sexual de mais de dois anos. Ele diz ter identificado “superpoderes” depois de uma promessa em busca de se curar do vício em pornografia.

A comunidade online tem cerca de 200 mil pessoas, de acordo com o jornal britânico “The Independent”, e prega a não masturbação. Os seus membros abrem mão de dar prazer sexual a si mesmos e ficam sem assistir pornografia e se masturbar durante longos períodos. Muitos vêm essa experiência como um teste de autocontrole, enquanto alguns realmente usam da abstinência para tratar o vício em pornografia que, de acordo com eles, os deixaram incapazes de aproveitar o sexo na vida real.

abstinencia-sexo

Tratamento de choque

Brohit se considera viciado em pornografia. Depois de alcançar 700 dias sem qualquer tipo de prazer sexual – ele diz estar há mais de dois anos sem relações sexuais ou masturbação – o homem sente que sua mente ficou mais clara e também se considera totalmente em paz com mais frequência, de acordo com o site britânico.

Mas além disso, ele identificou outras reações que considerou “superpoderes”, como um aumento repentino de sua autoconfiança, maior foco nas atividades diárias, além de impulsos de energia durante o dia, características que atribui à abstinência.

Ele ainda sugere que a glorificação do sexo em nossa sociedade tem atrapalhado a perspectiva das pessoas: “Agora só podemos pensar em sexo e em como seria dormir com mulheres que têm corpos ‘perfeitos’”.

Ele recomenda

Bohit afirma que essa promessa de ficar mais de dois anos sem se masturbar o fez perceber que também sofria com outros tipos de vícios ou obsessões que, por mais que não fossem tão sérias, o fizeram refletir. Segundo ele, mandar mensagens para mulheres ou usar sites de namoro “em busca de sexo sem sentido” também são prejudiciais. “Como tudo isso é diferente de se masturbar?”, questionou.

“Eu ainda enfrento as mesmas tentações do que há 700 dias, mas gosto de pensar que sou mais forte agora”, explica o homem que ainda relata que a abstinência deixou um vazio dentro dele: “Esse vazio dentro de nós é o que nos torna humanos”.

As informações são do Ig

1.299