“Os Machões Dançaram – Crônicas de amor e sexo em tempos de homens vacilões”, de Xico Sá, foi lançado em dezembro na Livraria da Vila, em São Paulo, e o Testosterona esteve lá para conhecer o livro final da da trilogia “Modas de macho & modinhas de fêmea”.  Segundo o próprio Xico Sá, “era a hora mais apropriada do mundo. O livro tem título inspirado num romance de Norman Mailer, justamente Os machões não dançam.

No livro são catalogadas crônicas de costumes que revelam as mudanças de comportamento nas relações amorosas do final do século XX até hoje, entre textos inéditos e reescrituras de crônicas que saíram na web em sites, jornais e no seu próprio Facebook. “Os Machões Dançaram” apresenta uma série de “personagens” que ilustram as grandes transformações na vida dos homens e das mulheres.

São 190 páginas de muita diversão e textos bem-humorados, que criam identificação vários dos “tipos” de relacionamentos e histórias. Xico também comenta as mudanças trazidas pela internet para as relações e seus resultados, por vezes, desastrosos. A orelha do livro é assinada por um amigo de Xico, Reinaldo Moraes, que eu tive o prazer de conhecer no dia do lançamento e a chance de agradecer por um dos melhores livros que li na vida: Pornopopeia (falei sobre ele aqui).

Sou fã do cronista (e já falei de outro livro dele por aqui também, inclusive) e tenho o hábito de ler versões impressas fazendo anotações, grifos e marcações de meus trechos preferidos, emblemáticos ou que vão servir de inspiração futuramente. Além de recomendar a leitura, deixo um “fichamento” das minhas frases e passagens preferidas do livro, seguidas pelo nome da crônica em que estavam.

os-machoes-dancaram-xico-sa
SOBRE HOMEM FROUXO
“O que a mulherada enfrenta é a epidemia do homem frouxo, nada mais.”  (O homem moderno e a crise do comparecimento)

O QUE AS MULHERES QUEREM
“As mulheres querem… flores e presentes. Não caia, jovem mancebo, nesse conto de que mulher gosta é de dinheiro. Se assim fosse, amigo, os lascados de tudo não teriam nenhuma, nunca, jamé.” (Até sei o que elas querem)

MULHERES SANTAS E VADIAS
“Ora, amigo, a mulher completa tem, na mesma cabeça, um pacto com a santa e um pacto com a rapariga. É essa mistura que dá graça.” (Caso com as vadias, me divirto com as santas)

SOBRE RELACIONAMENTO ABERTO
“Meio-amor não é amor, cai fora, se liga. Se fechado não funciona, imagina na base do ‘liberou geral’. Amor não é essa festa toda. Amor é disciplina.” (A lenda do relacionamento aberto)

MULHERES ESTRANHAS
“A graça da moça é o indecifrável que nos põe de plantão permanente.” (Quando a mulher diz “estou estranha”)

SOBRE HOMENS QUE COZINHAM
“A gastronomia, estimada leitora, tem sido um truque máximo utilizado pelos ditos ‘homens sensíveis’ para abater suas presas. Não confunda, todavia, a afetação do homem hortinha, aquele que se orgulha de usar temperos cultivados no próprio quintal, com delicadeza ou futuro na relação. Pode ser apenas mais um truque moderno.” (Amor, comida e conquista)

SOBRE O AMOR
“Afinal, o amor é mesmo uma pedra de crack rumo à Estação da Luz. Amor é eclipse.” (Quando a dor de amor vai embora)

“Não há sinal amarelo no amor… e triste de quem lhe obedecer. Se amarela, não é amor. Amor só existe em preto & branco.” (Não há sinal amarelo no amor)

SOBRE DOR DE AMOR
“As dores de amores são parecidas entre si, a diferença é que a nossa é sempre mais dolorosa.” (No balcão com o Sr. Barnes, reflito sobre o fim do amor)

“O amor acaba, mas tem sempre um ‘chorinho’, como do generoso garçom no nosso uísque.” (O amor acaba, mas nem sempre termina)

SOBRE MULHERES
“É mais fácil enganar Deus e Darwin juntos do que enganar uma fêmea.” (Como bate o coração de uma mulher)

Pode lançar mais que eu venho a todos mesmo! ❤️

A photo posted by Francini Vergari (@franvergari) on

SOBRE PÉ NA BUNDA
“Um homem só aprende o sentido depois de muitos pés na bunda. De patrões, de editores, de mulheres. Só um pé na bunda dá o sentido da vida. Juro.” (Só o pé na bunda salva)

SOBRE MULHERES MAGRAS
“Aquela secura de tudo, além de fora da realidade anatômica, não é apreciável. Chega de barriga negativa. Negativo aqui em casa é tão somente o saldo bancário.” (Uma hipótese de barriguinha)

HOMEM QUE É HOMEM
E fica o mantra , pela milésima vez, à guisa de educação sentimental aos moços, pobres moços: homem que é homem não sabe nem procura saber a diferença entre estria e celulite.” (Uma hipótese de barriguinha)

SEXO ENTRE AMIGOS
“Não creio nessa história de que o sexo possa estragar uma grande amizade. Estraga uma amizadezinha qualquer, não uma bela amizade.” (Nada detém uma mulher revoltada)

FIM DE RELACIONAMENTO
“Só a inércia segura sob o mesmo teto. Só a preguiça. O fim do amor dá mais trabalho do que fazer o mundo em sete dias.” (A beleza da mulher que vai embora)

SOBRE O COMEÇO DO AMOR
“Pobre de quem acha que o amor precisa que a fila ande. O amor é mais ligeiro, rápido; o amor é muito avançado; o amor é centroavante em impedimento. O amor não carece de tira-teima. O amor está sempre na banheira, sempre impedido.” (O amor começa)

MULHER SEM ROUPA
“Porque uma mulher se vestindo é infinitamente mais elegante do que uma mulher tirando a roupa.” (Striptease ao contrário)

Este post tem o apoio de:
Testosterona CAM