Se você ou alguém que você conhece gosta de fazer o famigerado 5 contra 1, temos uma notícia triste. Há um estudo que sugere que ao longo do tempo podem surgir efeitos negativos devido à masturbação.

Publicado em  Biological Psychology, os cientistas Dr. Stuart Brody e Tillman Kruger descobriram que existe uma concentração de produtos químicos de 400% maior, como oxitocina e prolactina durante a relação sexual do que na masturbação. Por que isso importa?

Isso significa que você está recebendo muito menos oxitocina quando você está sozinho, com uma quantidade similar de dopamina. A oxitocina está ligada à satisfação, o que significa que o empurrão é inerentemente menos satisfatório.

Vício em masturbação?

Quanto mais você se masturba, mais dopamina seu cérebro é inundado (menos a sensação quente, complacente e satisfeita da oxitocina). Quanto maior a frequência que isso acontece, mais você está propenso a construir uma tolerância ou até mesmo um vício.

Mas se empurrar do mesmo jeito de novo e de novo não lhe proporciona muita libertação, o problema pode não apenas ser relacionado à dopamina. Em um artigo sobre a “síndrome da aderência da morte” (a idéia de que o golpear demais de forma forte danificará seu pênis), o Dr. Michael A. Perelman recomendou aos leitores da VICE que mudassem: “A idéia é ser capaz de responder mais do que um tipo de estimulação, para que você possa desfrutar de uma série de respostas “.

Há muitos benefícios saudáveis ​​no 5 contra 1, como liberar endorfina que ajudam para o alívio do estresse e até aumentar seu sistema imunológico, mas, como acontece com a maioria das coisas, a moderação e a variedade são as chaves da felicidade.

57.443

Leia também