Testosterona CAM - 24 horas online.

Assim como a pílula do dia seguinte, o Viagra (a famosa “pílula azul”) pode parecer um milagre em forma de remédio, mas precisa de atenção. E, como todo remédio, o ideal é que você consulte um médico antes de sair comprando por aí.

O remédio, que é recomendado para resolver problemas de ereção em idades superiores a 50 anos, está sendo usado pelos mais jovens para lidar com fatores como insegurança e ansiedade. O uso recorrente e desenfreado do Viagra pelos jovens começou a ganhar atenção quando um escritor inglês, James Andrew, de 24 anos, cometeu suicídio e um dos motivos seria que a namorada teria descoberto que ele usava Viagra secretamente para manter relações com ela.

viagra-testosterona-respostas

O remédio e o perigo

Uma pesquisa feita e divulgada pela Bayer em 2015 revelou que 62% dos homens já tomou remédio para disfunção erétil sem prescrição médica por medo de “falhar”. O remédio é comprado por indicação de amigos, farmácia e informações da internet. Mas os riscos da automedicação são bem altos.

Pode acontecer de o homem não ter problema nenhum e, depois de começar a usar o remédio, passou a só ter ereção com ele. Além, é claro, da dependência. Com medo de falhar, ele toma o remédio porque imagina que, sem ele, não vai dar certo – e na maioria das vezes pode acontecer por mero efeito psicológico.

Então, por via das dúvidas, resolvemos conversar com um médico para responder algumas questões mais comuns entre os homens sobre o assunto. Quem respondeu as perguntas foi o Dr. Lawrence Utida, urologista da Clínica Unix, especializada em urologia. Aqui vão elas:

1 – Como funciona o Viagra?

Ele é um vasodilatador que age também na circulação peniana. Ele potencializa o fluxo arterial e reduz a drenagem venosa peniana, ou seja, faz o “represamento” de sangue no pênis e garante, assim, a ereção.

2 – Em quais casos é recomendado o uso do Viagra?

Para homens com deficiência circulatória peniana, que geralmente ocorre em pessoas com doenças ateroscleróticas, diabetes, dislipidemia, tabagistas e pessoas com problemas no coração. Ou até pessoas que não apresentam ereção involuntária noturna/matinal ou que tenham perda de libido.

3 – Pode ser comprado na farmácia sem receita médica?

Sim.

4 – Qual a idade mínima para começar a tomar Viagra?

Não há uma idade certa. Mas geralmente são pessoas com mais de 50 anos, com doenças ateroscleróticas como infarto do miocárdio prévio, que acontece quando há uma obstrução nas artérias coronárias que diminuem o fluxo de sangue para o músculo cardíaco, fazendo com que falte oxigênio, inclusive para a ereção.

5 – E idade máxima, tem?

Não existe uma idade máxima para uso do Viagra. Aparentemente, não há riscos para os idosos, pois o sildenafila (Viagra) não aumenta a incidência de doenças cardíacas.

6 – Tem efeitos colaterais?

Sim, pode ter alguns efeitos como: vermelhidão facial, cefaleia (dor de cabeça), dor nas costas, congestão nasal, indigestão, dores musculares e tontura.

7 – Por quanto tempo dura o efeito do remédio?

O Sildenafila (Viagra) tem uma meia-vida de 2,5 horas, ou seja, a cada 2,5h o nível do medicamento reduz pela metade. O indicado é tomar cerca de 1 hora antes da relação sexual.

8 – O álcool interfere no efeito?

Sim. O Sildenafila (Viagra) e vardenafila (Levitra) sofrem a influência das bebidas alcoólicas, fazendo com que isso reduza seus efeitos.

9 – Ele resolve todos os casos de disfunção erétil?

Não. A impotência tem causas por diversos fatores, pode ser desde componente psicológico até doenças orgânicas (doenças vasculares, endócrinas, neurológicas).

10 – Perde o efeito se tomar ao longo de muito tempo?

Não. Estudos mostraram que, mesmo após anos de tratamento com Viagra, a ação do medicamento não foi alterada.

11 – Interfere na fertilidade do homem a longo prazo?

Não.

LEIA TAMBÉM: Vasectomia – médico responde as 9 dúvidas mais frequentes