a-vida-de-jack
Realmente, a noite foi muito boa. Você é muito gostosa. Não, não, assim é muito direto. Você é muito bela e encantadora. Melodramático. Eu, realmente, gostei muito de estar com você e com sua formosidade. Brega. Caralho, eu não sei como escrever. Essa mensagem é pra lhe dizer que a noite foi foda. Literalmente. Taí, gostei.

Meu nome é Jack. Na verdade, é Jackson. Meu pai era fã daquele cara que tocava pandeiro. Eu sou fã de Black Sabbath, mas não sou doido de colocar o nome Ozzy em algum filho meu. Enfim, pra não ficar muito escroto, abreviei. Desculpa meu vocabulário, tô tentando maneirar. Sou muito intenso e bruto. Não sou eu quem acho, uma namorada antiga me disse. Logo depois atirou um vaso em mim. Acho que era pra ratificar. O fato é que eu estou tentando mudar. Ser menos bruto, menos direto no jeito de agir e de falar.

É muita coisa que eu preciso mudar, sabe? Uma vez, um namorado de uma amiga minha disse que eu era um “Mulherengo inveterado”. Melhor isso que um invertebrado, né? Aquele pau mole do caralho. Desculpa. Mas acho que até ele tinha um pouco de razão. Por isso tava tentando mandar uma mensagem pra Luíza, a menina que saí ontem. Quero ser um cara mais cinema e menos bordel. Sem frescura. Só não quero que pensem que eu sou um Zé ninguém, que nunca leu Mário Quintana ou Vinícius de Moraes. Não sei se tô fazendo me entender.

O fato é que eu sei ser romântico. Tudo bem, estou tentando aprender. E se por um acaso eu já saí com várias mulheres, é porque eu amo demais. Aliás, já inventaram algo melhor que uma mulher? Nem hoje, nem amanhã. “Mulherengo inveterado” é a mãe dele. Só sou um grande apreciador e degustador da melhor criação de Deus. Mas eu tenho que me aquietar, é verdade.

“Jack, Jack, você é um sacana. O que vamos fazer hoje?” Tá vendo, ela respondeu. É nisso que eu travo. Quero bater um papo legal e propôr um programa interessante. Mas ela faz essa pergunta e só vem sacanagem na minha cabeça. É foda. Desculpa, desculpa, não consegui me desapegar do palavrão. O que eu respondo? Sei que você não pode se meter. Vou pensar um pouco mais. Tá acabando o tempo?

Sim, Jackson. O tempo acabou. Mas vejo que já tivemos um bom avanço com seu desabafo. Fez você refletir, não é mesmo? Responda a Luíza e você me diz o que aconteceu na próxima sessão.