Puta que pariu. Que horas são? A Luíza vem pra cá e a casa tá essa zona. Os caras são foda, tocam o puteiro aqui e no dia seguinte sobra tudo pra mim. Não vou reclamar. São só umas garrafas de cerveja. E aquela pia. Maldita pia. Vou começar a comprar só pratos e copos descartáveis, pelo amor de Deus. Mas já era. Pra agora vou ter que dar um jeito nisso. E ainda tenho que fazer compras porque acabou a cerveja. Que inferno. Dá tempo. Eu levanto daqui a pouco e resolvo tudo isso. Essa coisa de trocar a noite pelo dia tá me matando.

Ah, caralho! Já tá escurecendo! Ok, compras. O que será que a Luíza come? Ontem a gente só bebeu. Pelo menos ela bebe cerveja, deve comer umas porcarias também. Mas é melhor a gente sair pra comer, não vou arriscar. Cerveja, cerveja, hmm… vou levar dessas Ice, a mulherada gosta dessas coisinhas… Um guaraná, deixa eu ver… Doritos, doritos, não tem Doritos nessa merda? Ah, aqui. Uns chocolates e pronto. Eu me alimento mal pra caralho. Amanhã faço compra direito, não tem nada naquela casa. A Luíza podia saber cozinhas, né? Tava com vontade de comer um strogonoff decente, porque aquele do self-service faz parecer miojo vencido um banquete. Mas vamos ver, se eu perguntar ela vai achar que só tô querendo arrumar alguém pra cozinhar e lavar minha roupa. Ou pior, vai achar que tô procurando uma namorada. Aí fodeu.

Pronto, tá tudo ok. Sem bitucas de cigarro pela sala, nem garrafas espalhadas, nem roupas, beleza. Tá habitável. Agora pra onde eu vou com a Luíza? Pizza? Sushi? Ela não responde essa merda. Se ela furar, eu vou ficar bem puto. Arrumei a casa todinha pro nosso pós-jantar. Mas não vai, se não ela nem teria respondido. Cumpri todo o protocolo, levei pra jantar, perguntei sobre o dia, os sonhos, mostrei interesse nela sem olhar muito pro decote, levei ela em casa depois, mandei mensagem no dia seguinte, blá-blá-blá. Ela é muito gostosa mesmo, e gostei de sair com ela. Uma merda se furar. Melhor já deixar alguém no esquema? Porra, Jack, que horror. Preciso ser uma pessoa melhor.  É a vida, mas calma. Responde, Luíza. Vamo, mulher. Não é possível que ela esteja se fazendo de difícil a essa altura. Mulher tem dessas. Já deu, sabe que foi bom e depois fica embaçando. Mas a Luíza não é dessas, não. Se tem uma coisa que me deixa muito puto, muito mesmo, é a mulher inventar de desmarcar em cima da hora. Puta sacanagem isso, palhaçada.

Respondeu, diaba! “Me pega em casa?” Pego onde cê quiser.