World Class Competition, considerado o maior e mais respeitado campeonato de coquetelaria do mundo, chega a final mundial de sua 11ª edição e já tem seu vencedor: a representante de Cingapura, Bannie Kang, que comanda o Antidote Bar, foi eleita a grande ganhadora da noite.

Vencedor

Na competição a bartender Bannie Kang apresentou coquetéis nos desafios das marcas Ketel One, Talisker, Tanqueray, Singleton e Johnnie Walker com maestria. “Foi uma experiência incrível, com muita diversão e trabalho duro. Gostaria de parabenizar todos os finalistas, pois havia tantas bebidas incríveis que qualquer um de nós poderia ser o vencedor. Aprendi muito e fiz amigos para a vida toda. Foi um privilégio passar os últimos cinco dias com eles, trabalhando com marcas incríveis, na melhor competição de bartenders do mundo. Ganhar foi a cereja do bolo”.

Brasileiro

O brasileiro Gabriel Santana, do Benzina Bar, deu um show de carisma, energia e técnica na 11ª edição do World Class. “Me dediquei bastante para estar aqui, fiz o meu melhor e consegui mostrar para o mundo quem eu sou. Estou orgulhoso com o meu desempenho. Prometo dar toda a minha energia para melhorar a indústria no Brasil”, diz.

Por meio do campeonato, a Diageo fomenta a cultura de drinks e trabalha para elevar o segmento a um novo patamar, como já ocorre com a gastronomia. A competição vencida por Bannie Kang enaltece a carreira de bartender com uma experiência única, de reconhecimento imensurável para os profissionais da área. O objetivo não é encontrar o drink perfeito e, sim, o profissional mais completo.

Bannie Kang foi selecionada por um painel de jurados composto por grandes vencedores, mixologistas premiados, escritores especializados em bebidas e jornalistas. A bartender receberá a honra de ser coroada como a Bartender do Ano 2019 do World Class e a oportunidade de viajar pelo mundo representando as marcas da Diageo Reserve e o World Class, trabalhando com parceiros comerciais globais e atendendo eventos culturais.

“O World Class convida os melhores bartenders do planeta para participar dessa competição. O foco é reuni-los, para que trabalhem e aprendam juntos, inspirando uns aos outros e gerem ideias que ajudem a melhorar a cultura da bebida em todo o mundo”, pontua Simon Earley, diretor do World Class.

Essa é a terceira vez que uma mulher conquista o título de melhor bartender do mundo no World Class. Outras duas já venceram a disputa: Jennifer Le Nechet (em 2016) e Kaitlyn Stewart (em 2017). Parabéns, Bannie Kang!