nitro
Tenho certeza que você, leitor deste blog, já assistiu a Velozes & Furiosos ou jogou qualquer um dos Need For Speed. Tanto nos filmes quanto nos jogos, deve ter se deparado com o Nitro, também conhecido como NOS. E hoje a ideia é mostrar aqui o que é esse tal gás maluco e o que ele realmente faz. Bora lá?

Pra começar, o Óxido Nitroso é uma parada que você deve ter utilizado inúmeras vezes sem se dar conta: ele é um agente anestésico muito utilizado na odontologia! Então quando rola uma anestesia por inalação de gases, é muito provável que ela tenha Óxido Nitroso. Além de anestesiar/sedar ele também te faz ficar rindo e viajando. A gente também pode encontrar óxido nitroso como combustível de foguetes, resfriando e criando pressão em latas de aerosol (chantilly, por exemplo), em casas de malucos que inalam o gás pelo efeito e é claro, em carros.

O nitro é composto por duas partes de nitrogênio e uma de oxigênio, o que faz com que seu símbolo nas tabelas seja N2O. É um gás incolor e menos tóxico que muitos outros gases similares, além de mais estável  (por isso o uso em foguetes). Um belo dia, alguém com acesso a esse gás pensou: e se eu usasse essa porra no motor do meu carro?

Como eu expliquei num post passado sobre funcionamento de turbo, o aumento da massa de ar na admissão de um carro faz com que o motor exija mais combustível, para manter as coisas balanceadas. Só que depender apenas da pressão atmosférica para isso deixa tudo meio monótono. Tanto que muitos carros turbinados até usam intercooler, um acessório que resfria o ar da admissão para aumentar sua massa. Mesmo assim, ainda não fica lá uma coisa tão foda. É onde entra o nitro, que vai causar no carro quase o efeito da cocaína sobre uma pessoa.

nitro1

Vamos considerar aqui um caso de nitro one-stage: O nitro é armazenado em cilindros de alta pressão e administrado por válvulas de acionamento eletrônico. Quando o cilindro está aberto e o piloto aciona a válvula, o gás é liberado diretamente na admissão do carro. Isso pode ser no corpo de borboleta, no carburador ou até na câmara do filtro de ar. Como o Nitro é mais gelado e denso que o ar, ele refrigera toda a admissão do motor. Ao baixar a temperatura, o nitro torna possível que caiba muito mais oxigênio do que antes. Então você tem um volume absurdo de oxigênio sendo sugado junto com todo o N2O chegando numa pressão foda e ainda vem o combustível do carro pra dentro do cilindro do motor. Aí meu jovem, é uma explosão extremamente fora do comum!

Basicamente, o nitro aumenta a massa de ar, faz o motor puxar mais combustível e ter uma explosão infinitamente superior às anteriores. Isso sem esquecer que o nitro é gelado pra caralho, ou seja: de maneira geral, todo o motor aquece bem menos, mesmo com explosões maiores. Doido, né? Nesses sistemas one-stage, é comum que o Nitro resulte em potências entre 10 e 75cv adicionais ao motor.

Quando pensamos em carros de corrida de arrancada, ou até mesmo carros de rua onde a ideia é atingir muito mais potência, o acionamento do nitro pode ser feito em dois estágios. O primeiro é a mesma coisa já descrita aqui, agora a diferença é que enquanto isso acontece, você libera a segunda válvula de nitro, que pode duplicar ou triplicar a quantidade já injetada de gás. Normalmente, carros de dois estágios atingem 70-90cv adicionais no primeiro acionamento e mais 70-90 no segundo. Deixando o carro com quase 200cv a mais somente com o apertar de dois botões.

E como sempre tem alguém com muito mais bolas, há sistemas de dois estágios onde o primeiro acionamento pode trazer 150 a 200cv adicionais e o segundo estágio vem com outros 200cv. Isso é até aceitável em dragsters e carros onde o objetivo é quebrar algum recorde ou sei lá, suicídio.

nitro2

O nitro também é muito utilizado em motos esportivas, adicionando modestos 10 ou 15cv de potência. Se considerarmos que elas, em média, possuem 1kg/cv em relação peso potência (motos esportivas de 170kg costumam ter 170cv de potência), adicionar um cilindro pequeno de nitro pode resultar em alguns segundos de relação 0,9kg/cv. Acredite em mim: ter menos peso do que potência é algo surreal.

Em termos de segurança, o nitro não oferece riscos de explosões ou incêndios quando entra em contato com o ar, pois ele fica inerte. Ele só explode dentro do cilindro do motor porque ali são condições extremas. É muito mais fácil um carro pegar fogo por causa do óleo ou gasolina do que pelo nitro, então pode ficar tranquilo caso algum dia você encontre um vazamento de nitro. Só não encoste no jato que sair!

Ok, falamos aqui sobre o que é o nitro, como funciona e porque funciona. Aí você se pergunta: Como eu faço pra ter isso no meu carrinho?

É claro que o primeiro passo é procurar uma oficina competente. Pesquise por referências, tire o máximo de dúvidas, prepare o bolso, enfim, coisas normais quando pensamos em aumento de potência. Só que não adianta só confiar na oficina.

Se você vai deixar o carro com motor original e apenas instalar o nitro, não pense em algo muito ambicioso: no máximo 30 ou 40% a mais de potência, para preservar componentes internos do motor e sua própria segurança. Acima disso, estamos falando sobre até 200% de aumento na potência, isso é um coice comumente não imaginado pelos engenheiros do seu amado carro, então entra uma lista de novos itens a serem trocados:

  • Pneus mais resistentes e aderentes
  • Suspensão preparada
  • Pistões e bielas forjados
  • Upgrade na linha de combustível
  • Freios de corrida
  • Escapamentos
  • Upgrade no sistema de ignição
  • Cuecas ou fraldas novas

 

Depois disso tudo, como cita Buzz Lightyear: ao infinito, e além!