turbo-testosterona
Eu gosto de motores turbo. Um dos meus barulhos preferidos é aquele da turbina sugando todo o ar que encontra pela frente, empurrando-o para dentro do motor com mais combustível e fazendo o motor gritar. Suas costas colam no banco do carro e de repente você é dono do mundo. E nem precisa ultrapassar algum limite de velocidade pra sentir tudo isso.

Hoje eu diria que a turbina de um carro é isso: uma injeção de energia no motor, o Mucilon de qualquer carro. Só que ela sozinha não muda nada, há um conjunto de componentes, técnicas e conceitos que fazem um carro ter o dobro ou até triplo da potência quando resolvemos montar um kit turbo. Vou passar o máximo possível aqui, começando pelos princípios básicos, como o funcionamento:

Todo motor tem uma entrada de ar (a admissão, onde fica o carburador ou corpo de borboleta) e uma saída (o coletor de escape e escapamento). Seu motor funciona com uma mistura ar/combustível que é queimada pela faísca das velas. Imagine que quanto mais ar você joga pela admissão, mais combustível seu motor pede. Quanto mais combustível ele queima, mais forte ele fica, emitindo um volume maior de gases. É aí que entra a tal da turbina.

Uma turbina é composta basicamente por cinco componentes: caracol dianteiro, caracol traseiro, rotor dianteiro, rotor traseiro e eixo. O caracol traseiro é instalado no coletor de escape, aproveitando os gases do motor para girar o rotor e o eixo. Ele é a turbina. Consequentemente, o eixo gira o rotor dianteiro e este puxa um volume de ar para dentro do caracol dianteiro, que vai trabalhar como compressor e jogar todo o ar na admissão. Como sempre que o motor puxar mais ar, ele vai emitir mais gases, é a própria combustão que faz a turbina girar sem depender de acionamentos mecânicos.turbo

– Beleza, fera. E aí?
– E aí? Mano, é nessa hora que o nenê se enche de Mucilon e solta aquele berro do caralho!

Aquele espirro que você ouve do Gol 92 do seu vizinho é a válvula de prioridade, ou a pop-off regulando a pressão do turbo e impedindo que seu motor exploda. Com alguns “relógios” a gente vai regulando a pressão de turbo nesta válvula. Aí você acelera até subir esta pressão e a válvula libera o excedente enquanto toda a pressão permitida vai pra dentro do motor. O foda é que meio mundo de gente pensa que pressão é tudo, mas o segredo está no volume e na velocidade do ar ;)

Muita pressão pode dar aquela emoção espontânea, mas isso vai ser uma ejaculação precoce, o negócio é mandar muito ar pra dentro. E em alta velocidade. Para isso, pensamos de forma básica: motor grande pede turbina grande. Mas se o caracol traseiro for grande, ele demora mais para girar os rotores, então, o que eu faço? Monto uma turbina com caracol traseiro “pequeno” e rotor rápido, para aumentar a velocidade de giro. A partir do momento que soluciono isso, preciso calcular um caracol dianteiro que suporte a nova quantidade de ar junto com o rotor. Mas eu não posso simplesmente colocar o maior, porque talvez ele não atinja a pressão necessária. Vem uma série de cálculos e testes que definem a física da sua turbina.

– Ok. E pra que um carro turbo?

O turbo é o fôlego extra para um fumante. Ele vai fazer o carro se desenvolver mais em situações onde não havia potência. Na ultrapassagem de um caminhão na subida, na possibilidade de ter respostas mais rápidas. É um investimento bacana, mas quando você investe em potência, também precisa de suspensão e freio.

Mas isso é papo para outra coluna! Ah, um bônus: