cerveja
Vez ou outra surgem algumas pesquisas sobre os benefícios ou malefícios que a cerveja pode causar ao ser humano. É óbvio que o consumo desenfreado e desregulado da bebida traz problemas, mas pesquisadores da conceituadaUniversidade da Harvard descobriram que o etanol presente na cerveja estimula o fígado na produção do famoso “Colesterol bom” – HDL, ajudando na prevenção de doenças cardiovasculares.

O HDL é o responsável por conduzir o LDL (colesterol ruim) para o fígado, impedindo a obstrução das artérias. Se não é mais encarada como vilã, a cerveja precisa, por outro lado, ser ingerida com moderação, garante o cardiologista Nabil Ghorayeb. “O limite estipulado está em torno de 700 ml de cerveja: algo como duas latas por dia para os homens” diz, baseando-se no estudo americano, realizado com porcos. Já as mulheres, explica, teriam que restringir o consumo a uma lata (350 ml) por dia. “Mulheres e homens têm diferenças de metabolismo e sensibilidade ao álcool”, pontua Ghorayeb.

A sociedade Brasileira de Cardiologia não discordou do resultado da pesquisa, mas se mostrou preocupada com os “exageros”. Nas palavras de Nabil: “muita gente chega a beber dúzias de cervejas em festas. Ao extrapolar os limites, a bebida perde o seu efeito positivo e passa a trazer alguns riscos. Ficar dentro dos limites é sempre a melhor receita”.

Fonte: Have a Nice Beer