A primeira sexta feira do mês de agosto é o Dia Internacional da Cerveja, mas não vamos falar sobre este dia!

Nas últimas semanas, dezenas de amigos meus, me questionaram sobre e até propuseram fazer uma cerveja de gás Hélio. Essa ideia deve-se a um vídeo que virou febre, em que dois alemães do canal Die Bierprobierer degustaram uma cerveja que foi gaseificada com gás Helio. Tenho certeza de que muitos já aspiraram balões de festas que foram inflados com hélio e se divertiram demais com a modificação das vozes! Hahaha!

Se você não conferiu o vídeo desta dupla, confira pois vale a pena:

HAHAHAHAHA, demais não?! (Beleza, eu não falo alemão também, mas mesmo assim é hilário!)

Certo, seria possível fazer uma cerveja assim?!

Ao invés de utilizar gás Carbônico, usarmos gás Hélio?! Bem, primeiramente vou explicar o processo de gaseificação, que na cerveja também chamamos de “carbonatação”. O processo de “carbonatação” é quando colocamos CO2 na cerveja, as bolinhas fervescentes. Este processo se dá com a ação da temperatura e pressão. Existe uma lei, chamada de Lei de Henry, que indica as condições de pressão que cada gás necessita para ser diluído em um líquido.

O Hélio é cerca de 700 vezes menos solúvel que o Dióxido de Carbono! Utilizando as fórmulas da Lei de Henry, encontramos que, a 20 PSI, conseguimos dissolver 0.000835 frações de mols de CO2 em um litro de água. Para dissolver a mesma quantidade de Hélio na água seriam precisos mais de 1800 PSI.

Para termos uma base de comparação os tanques onde as cervejas são fermentadas, suportam uma pressão máxima de 144 PSI, mas normalmente trabalham em torno de 28 PSI. Comparando mais a fundo ainda, uma tubulação de gás natural suporta pressões de até 1000 PSI.

Além de altíssima pressão que seria necessária para gaseificar esta cerveja com hélio, temos também o problema da temperatura da cerveja. Se uma cerveja com hélio fosse aquecida, o gás ali diluído sairia, fazendo garrafas e barris explodirem facilmente.

Em condições normais de gaseificação com o dióxido de carbono, o hélio não se incorpora com a cerveja, ocupando apenas os espaços vazios das garrafas e barris.

Me desculpe por acabar com o sonho da cerveja de hélio, mas a Samuel Adams Helium, NÃO EXISTE! =(

Toda esta história do canal Die Bierprobierer foi baseada em uma brincadeira de Primeiro de Abril da cervejaria americana Samuel Adams (e que nós até postamos aqui no Blog):

Feliz Dia da Cerveja!

Ein Prosit!