Uma das mais revolucionárias cervejarias da atualidade lança a primeira cerveja transgênera do mundo! “Assim como os seres humanos, acreditamos que uma cerveja pode ser o que diabos ela quiser, e estamos orgulhosos disso” vem estampado no colorido rótulo da cerveja, que se chama “No Label”(Sem Rótulo).

Como sabemos (ou não), o lúpulo é um dos principais ingredientes da cerveja. A planta do lúpulo, uma trepadeira  da família Cannabaceae (sim, é a prima distante da ervinha), tem dois sexos, o masculino e o feminino. Para a indústria cervejeira, somente a parte feminina que interessa. De acordo com a BrewDog, o lúpulo usado na produção da No Label teve o gênero alterado naturalmente. As flores, que a princípio foram definidas como femininas, transformaram-se em masculinas antes da colheita. Segundo James Watt, co-fundador da Brew Dog, lúpulos assim são descartados pela indústria por conta da “questão dos gêneros”.

brewdognolabel
A edição limitada desta cerveja do tipo Kölsch, de coloração dourada e conta com 4,6% de ABV, levou cerca de 20kg de lúpulo do tipo Jester, que é mais propício a esta mudança de gênero.

James Watt diz ainda: “produzir essa cerveja não-binária, pós-gênero, tem sido um processo longo e cuidadoso e temos a certeza que muitos puristas da cerveja irão questionar sua legitimidade, mas nós nos preocupamos mais com a liberdade que com etiquetas. A diversidade faz com que tudo e todos sejam mais interessantes.”

A cerveja que foi criada em parceria com a Queerest of the Queer, organização britânica que luta em prol dos direitos da comunidade LGBT, será vendida no novo bar da Brewdog em Londres e todo dinheiro arrecado com este novo rótulo, será revertido para instituições de caridade de apoio a jovens transgêneros.

Mais uma vez a BrewDog revoluciona e bate na cara da sociedade com os seus rótulos polêmicos e receitas altamente criativas! Não é a toa que esta é uma das cervejarias mais queridinhas do movimento “Craft Beer”.

Ein Prosit!