Nascido em Oriente no interior de São Paulo, Marcos Roberto Silveira Reis pode ser considerado um ícone de sua geração, ao lado de Dida e Rogério Ceni essa trinca foi responsável por manter a meta brasileira segura na Copa de 2002.

 

 

Marcos era unanimidade

Marcos foi ícone em uma seleção repleta de grandes nomes, que tinha como base um goleiro que era firme nas defesas, salvador nos momentos mais terríveis e sabia se impor,  afinal, goleiro bom não fica calado, reage, age e jamais deixa o time sofrer sozinho. Por isso que Marcos extrapolou o limite do clubismo, foi além de sua icônica história no Palmeiras e fez dos torcedores do Brasil seus fãs de carteirinha.

Adepto da boa resenha Marcão era fera em divertir a galera sempre com uma boa história para contar e um momento interessante para relembrar, o “São Marcos” colocou em cena sua segurança em um time muito ofensivo, que sabia bem como fazer um goleiro trabalhar, e sem perde o bom humor, foi um dos homens mais importantes para a nossa ultima conquista na copa do mundo.

 

 

Com exatos 532 jogos pelo Palmeiras e 29 pela seleção brasileira (1999-2005) segurava a barra em uma defesa que consistia em Lúcio, Roque Júnior e Edmílson, bons nomes da sua geração, mas que careciam de alguém a importância e a segurança de um goleiro experiente para manter tudo sob controle.

Na Russia, Alisson deve herdar a saudosa camisa 1 da amarelinha e ser o responsável por seguir um legado de grandes goleiros brasileiros, e amigo leitor qual será a posição mais importante nesta seleção?

 

Leia também