Em tempos de blogueiros fitness, o beer sommelier Ticiano Melo consegue mostrar que é possível ter uma vida saudável sem abrir mão da querida cerveja. Seu perfil no Instagram, o @CervejeiroCorredor, tem feito sucesso com o crescimento do interesse pelos dois assuntos: cerveja e corrida. Cada vez mais as pessoas se interessam por conhecer melhor o que estão bebendo (e as cervejas artesanais estão na moda) e saem em busca de superação (e medalhas).

Para o Testosterona Entrevista, Ticiano contou sobre como concilia as duas coisas, o uso da cerveja como isotônico e deixou palavras de incentivo para quem quer começar – a beber ou correr.

Entrevista: Fran Vergari

As duas coisas estão muito na moda, tanto corrida quanto o interesse conhecer mais de cerveja. Tem algum palpite sobre o que tenha levado esse aumento todo de interesse?

Acho que o aumento do interesse pelas cervejas especiais e pela corrida de rua tem crescido por causa da tendência atual de buscar qualidade de vida. A corrida proporciona saúde e bem-estar, além de expandir o círculo social dos praticantes. As cervejas especiais seguem essa linha. A disseminação da cultura cervejeira tem despertado o interesse de pessoas que buscam novas atividades profissionais ou simplesmente tem curiosidade sobre o que envolve o seu consumo e produção. Existem instituições de ensino, eventos de divulgação, degustações, concursos e festas que atraem profissionais e curiosos, criando novos grupos de relacionamento, inclusive virtuais, o que torna a atividade prazerosa. Hoje dedico meu tempo livre para fazer cursos, participar de eventos, e às colunas sobre harmonização com cerveja no blog Psicozinha.com e na Revista Beer & Co (que tem seu lançamento previsto para junho). O IG é um bom cartão de visitas.

cervejeiro-corredor

O que veio primeiro na sua vida, a corrida ou a cerveja?

A corrida entrou em minha vida assim que ingressei no Exército, como uma atividade profissional obrigatória. Da maneira como encaro essa atividade hoje, em 2013, assim que cheguei em São Paulo. Já a cerveja, desde a época em que cursei a AMAN. Minha predileção por cervejas especiais é mais recente, surgiu no final de 2012 e em 2013 decidi me aprofundar nos estudos do assunto.

A foto é antiga, foi o resumo de 2013. Em 2014, foram 8 provas de 21k e uma fascite plantar que me deixou de molho de outubro do ano passado até janeiro deste ano. Voltei aos poucos, mais tranquilo e concentrado. Aos poucos tô ganhando confiança e foco. No segundo semestre, vou caçar medalhas novamente! 💪 . #cervejeirocorredor . #micoach . Postado em 22/05/2015 . #loucosporpodio #brasilrunners #correndoamil #run #tenisesainha #corregabs #running #30tododia #corridasderua #corremulherada #correndoporai #vaicorrer #corridaderua #euatleta #nacoladaro #worldrunners #instarunners #topsdascorridas #corridadeorientacao #corrida #instacorredores #amocorrer #correndocomasamigas #quenianosdoig #somais1k #amigoscorredores #vicioporcorrida #paquitasquecorrem

A post shared by 🇧🇷 Cervejeiro Corredor ™ 🏃🍺 (@cervejeirocorredor) on

 

É difícil conciliar as duas coisas?

Parece difícil, mas conciliar as duas atividades pode ser simplificado com uma boa dose de limite, definição de prioridades, disciplina e comprometimento. Conforme o plano de treino que sigo atualmente, treino 4 vezes por semana (terça, quinta, sábado e domingo). Com relação à cerveja, não tenho uma frequência definida, mas evito beber mais que uma nas vésperas de treinos mais intensos.

Já fez as duas ao mesmo tempo? 

Apesar de ter vontade de participar de uma beer-run, nunca bebi e corri ao mesmo tempo!

Alguns estudos apontam a cerveja como um bom isotônico. Você concorda? Tem alguma que prefere para depois do exercício?

Concordo! O álcool é uma substância que tem efeitos diuréticos, mas quando ingerido em quantidades moderadas. O excesso pode acarretar na retenção de líquidos. Após os treinos longos, especialmente nos domingos, gosto de beber cervejas de trigo, as Hefeweizen, por serem refrescantes, nutritivas e terem baixo teor alcoólico.

Quais aplicativos você usa para correr? 

Como corro sozinho, sem auxílio de assessoria ou de outros corredores, faço acompanhamento médico regular (exames e consultas periódicas) e uso o sistema miCoach da Adidas, que oferece uma ferramenta de avaliação que define 4 zonas de desempenho e as encaixa no programa de treino que o usuário escolhe (5, 10, 21 e 42Km) e no resultado pretendido. Oferece feedback dos treinos, acompanha o desgaste dos tênis, entre outras funcionalidades. Para monitorar os treinos, uso o SmartRun, aparelho também da Adidas que é relógio, GPS, frequencímetro e mp3 player. Esse relógio sincroniza os dados por wi-fi, depois fica fácil avaliar rota e desempenho no site miCoach ou no app disponível para Android e iOS.

Como tem sido o retorno dos seguidores?

O retorno é o melhor possível! Sempre recebo comentários positivos, e-mails com pedidos específicos e até cumprimentos sobre algum post específico. O aumento do número de seguidores e curtidas é um termômetro para o desempenho. Outro retorno interessante é quando estou em algum evento, restaurante, etc, e alguém descobre que sou o responsável pelo perfil. Às vezes até me assusto um pouco com a repercussão, mas é bem legal esse retorno no corpo a corpo.

Seu público é mais cervejeiro ou mais corredor?

A maioria de meu público é de cervejeiros, apesar do número de corredores ser significativo (30% aproximadamente). Acredito que essas proporções estejam definidas dessa forma porque sou, formalmente, mais especializado e envolvido no ramo cervejeiro, apesar da corrida ser parte importante de minha vida. Eu não sou um corredor de ponta.

Qual dica você daria para quem quer começar a entender mais sobre cerveja?

Um bom ponto de partida é acompanhar blogs especializados, como o Bebendo Bem, FullPintBr e Homini Lúpulo, além do Psicozinha.com. Este último está no começo e tenho uma coluna sobre harmonização com cerveja. Outra fonte de informação importante é a leitura de revistas especializadas, como a Revista da Cerveja, a Revista Ein Bier e a mais recente, que está com a segunda edição no forno, a Revista Beer & Co (www.revistabeerandco.com.br). Para quem se interessar um pouco mais, temos diversas opções de degustações orientadas acontecendo pelo Brasil a fora, além de workshops e cursos de introdução ao universo cervejeiro. Por fim, para quem decide se profissionalizar, a melhor alternativa é procurar cursos de formação de sommelier de cervejas e, a partir daí, algumas especializações mais específicas. Comecei meu caminho em 2014, fazendo o curso de introdução ao universo cervejeiro da escola Superior de Cerveja e Malte (EaD) e o curso de sommelier de cervejas na Associação Brasileira de Sommeliers-SP. Depois, fiz a especialização de Mestre em Estilos, pelo Instituto da Cerveja Brasil. Em agosto deste ano, iniciarei a recém-criada especialização em Harmonização com Cerveja, também pelo Instituto da Cerveja Brasil.

E para quem está pensando em correr, qual sua palavra de incentivo?

O grande segredo para começar a correr, é simplesmente colocar um tênis e ir para um parque, sem pensar muito no que vai fazer, simplesmente correr, sem compromisso, sem cobrança, de peito aberto. A corrida deve ser encarada como uma oportunidade de desestressar, de relaxar e até, por que não, de abrir espaço para uma boa cerveja! (risos) Para poder aproveitar as coisas boas da vida sem peso na consciência.