Ex-campeã do KSW, Ariane tem apenas 24 anos e chega com status de futura campeã na organização

O rosto de menina pode até enganar os mais desavisados, afinal Ariane Lispki tem apenas 24 anos, certamente seria vista como uma pessoa de bom porte físico, bonita mas nem de longe entenderia que ela esconde o apelido de “Rainha da violência”.

Ariane Lispki

Ariane Lispki (créditos: Cassiano/Photo Fight Brasil)

 

Acostumada a lutar mundo a fora, a atleta curitibana realizou ótimas lutas no cenário nacional, boas vitórias e um estilo sobretudo decisivo, deixar para os árbitros decidirem nuca fez parte do estilo dela, o alto número de nocautes impressiona, das 11 vitórias, seis vieram através de socos de chutes.

A equipe do Testosterona bateu um papo exclusivo com a ex-campeã do KSW sobre sua luta no UFC Brooklyn que acontecerá neste sábado dia 19 de janeiro, confiram na integra o nosso papo com a atleta que falou sobre o inicio da carreira e como surgiu o apelido inusitado, confira:

Começo da carreira:

Comecei no evento Nitrix em Balneário Camboriú SC há 5 anos. Estar entrando no UFC em tão pouco tempo é mérito do meu esforço mas principalmente mérito da metodologia utilizada pelo meu treinador que faz com que os atletas evoluam mais rápido do que o normal.

Motivo do apelido:

Meu apelido foi dado pelos poloneses, não sei ao certo a pessoa que criou mas quando voltei pela terceira vez para a Polônia, era assim que eles me chamavam e confesso que adorei o apelido (risos).

 

Veja a primeira encarada entre Ariane e Joanne Calderwood

 

 

Situação inusitada na carreira:

Lutei na Polônia, uma situação inusitada foi quando eu fui reconhecida por um motorista de táxi por lá e ele fez um verdadeiro escândalo quando eu disse que era realmente a Ariane Lipski que estava no carro dele, parou o carro e pediu para tirar várias fotos, foi engraçado pois no meu país eu não tenho esse reconhecimento.

Ariane Lispki

Ariane Lispki (créditos: Cassiano/Photo Fight Brasil)

 

Expectativas para a luta

As expectativas são as melhores possíveis, tive um camp perfeito no Brasil feito pela minha equipe Rasthai, treinei o mais duro que pude e ainda tivemos o prazer de finalizar nosso camping nos EUA, treinando na Califórnia na Kings MMA onde meu treinador Renato Rasta teve a possibilidade de ouvir o mestre dele Rafael Cordeiro sobre alguns últimos ajustes no meu jogo. Não podia estar mais bem treinada e confiante, espero voltar com a vitória e de preferência por nocaute.

O canal Combate vai transmitir o UFC Brooklyn neste sábado a partir das 21 horas, além de Ariane o evento conta com os brasileiros Vinicios Mutante e Glover Teixeira, a luta principal fica por conta de Henry Cejudo vs TJ Dillashaw.



Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter