Esse é o terceiro texto da série sobre a influência da fotografia sensual na vida de uma mulher, se ainda não leu os anteriores, comece por aqui.

No último texto, conversamos sobre como a fotografia pode influenciar positivamente na nossa saúde física e mental.

Transformação

Hoje vamos falar um pouco sobre posicionamento e relações. Mais especificamente sobre como isso interfere e influencia na forma como nos vemos e como outras pessoas nos veem também. 

Vejo que depois que comecei a posar houve grandes mudanças em relação a isso. 

Decidir fazer um ensaio nu e torná-lo público, foi como começar uma nova vida. Sem dúvidas, um divisor pra mim.

Se eu já esperava por isso? Não fazia ideia! 

Quando comecei a posar eu não tinha intenção alguma de trabalhar como modelo. Mal sabia eu que a mudança não seria apenas em minha conta bancária mas, a partir daí, eu passaria a ser uma nova pessoa para mim e para os que me cercavam também.

Posicionamento

Antes da mudança ser visível para outras pessoas, ela acontece internamente. 

Primeiro você se conhece, toma consciência e muda suas atitudes. Só então que seu posicionamento e postura mudam perante a situações externas e outras pessoas.

No início não foi fácil lidar com as inseguranças que eu tinha sobre a minha aparência. Mas não tive outra escolha a não ser encarar isso de frente e encontrar a melhor maneira de resolver.

Já falamos sobre auto estima aqui e reforço mais uma vez que é algo que acontece aos pouquinhos. 

Um dia você se vê bonita pelos olhos de outra pessoa. No outro você se gosta fazendo fotos de si mesma. 

Até que começa a gostar de coisas em você que nem tinha reparado antes.

Você deixa de dar atenção para aquele detalhezinho que incomodava tanto e começa a notar o que gosta mais. Essas mudanças são quase imperceptíveis, mas elas acontecem. 

Respeito

Algumas coisas ainda me incomodam, mas o carinho e respeito que tenho por mim agora, é algo que há alguns anos eu nem fazia ideia que poderia ter.

E esse respeito e segurança que tenho hoje, ele transparece. Logo, outras pessoas me tratam da mesma forma.

Sabe aquela coisa que sempre dizem ‘’Se você não se amar, quem vai?’’ 

É real gente! Passe a se ver forte, passe a ter mais segurança sobre quem você é e o que quer, e vai ver que outras pessoas irão tratar você da mesma forma! 

Não acredita em mim? Faça o teste!

Posicionamento social

Uma vez estava num bar com um casal de amigos e eles começaram a rir de uma mulher que estava próxima a nós. No início achei que ela tivesse feito alguma coisa engraçada ou algo assim. Mas quando prestei atenção no que realmente estava acontecendo, me dei conta de que estavam rindo do corpo dela. 

Não lembro ao certo o que falaram, mas estavam rindo pelo fato dela ser gorda e estar usando uma camiseta que mostrava a barriga. 

Vendo isso fiquei sem saber o que dizer ou como agir. Acho que até hoje lembro dessa história porque lamento não ter feito nada. Mas é assim que aprendemos né? 

Aprendizado

Após quatro anos totalmente envolvida no universo da fotografia, vejo a importância sobre nos posicionarmos quanto a essas questões. 

O machismo acontece muito e, lamentavelmente, entre as próprias mulheres. 

Da mesma forma que essas pessoas se acham no direito de falar da vida alheia e vomitam a opinião não solicitada delas, devemos nos posicionar também para que isso deixe de acontecer. 

A culpa não é somente de quem fala, mas também de que vê e não faz nada. Assim como eu naquele dia. 

Precisamos ter mais empatia com outras pessoas e defender o que acreditamos. 

Mesmo trabalhando com fotografia há muito tempo, eu não fazia ideia o quão isso poderia ser importante pro meu desenvolvimento pessoal.

Ingenuidade pensar que a fotografia era apenas um trabalho, arte, ou um comprimido placebo para melhorar a autoestima. 

Quanto mais me envolvo e mais abro a mente pra isso, mais eu descubro que pouco sei. Não estou falando no sentido técnico da fotografia, mas do quanto ainda posso aprender com ela. 

Visão

Eu diria que eu tinha uma visão um pouco romântica e superficial sobre esse universo. E não fazia ideia que isso poderia virar minha vida de cabeça pra baixo. No bom sentido!

Pode parecer estranho porque se amar e se respeitar deveria ser algo natural na vida de qualquer pessoa. 

Hoje eu sinto que sou dona de mim, dona do meu corpo e das minhas vontades. Eu que dito as regras por aqui!

E nem sempre foi assim. Mas ao contrário de mulheres que dizem serem oprimidas por outras pessoas, nem disso eu precisei. Dei conta de me sabotar sozinha mesmo.  

Fiz isso todas as vezes que deixei de fazer qualquer coisa por não estar à vontade com a minha aparência. 

Não há nada de errado em dar atenção e cuidar mais da nossa aparência, pelo contrário. Mas quando isso se torna uma obsessão, um incômodo, passa a não ser algo saudável.

Fiquei dentro dessa bolha até começar a posar, me conhecer e mergulhar fundo no universo da fotografia sensual. 

Até então, eu ficava atrás da câmera. Sem dúvidas são duas perspectivas completamente diferentes. 

Consciência

E era justamente isso o que me impedia de saber tudo que sei hoje. 

Se eu ainda gostaria de melhorar alguma coisa? Mas é claro! Sempre busco o melhor, seja estética ou intelectualmente. 

Mas sem dúvida alguma, sou mais confiante hoje e devo isso a fotografia.

Aprendi que a confiança não vem de estar com um corpo escultural ou da maneira perfeita que imaginamos. 

Mas sim, da nossa auto-consciência. Nós nos julgamos o tempo todo. Por nossas atitudes, decisões, aparência… É algo natural do ser humano.

E o pior, não fazemos isso somente com nós mesmo, agimos assim com outras pessoas também.

Mas o que muda, é estar presente no agora e conseguir discernir no momento em que esse julgamento acontece e então tentar entender para enfim fazer diferente.

Relacionamentos

Quando você passa a se ver de outra maneira, um mundo novo se abre pra você e, nesse mundo, não tem mais espaço para auto depreciação ou pena de si mesma.

Passamos a olhar de outra forma para nós mesmas e para os outros. Uma vez que isso acontece, nossa visão do mundo nunca mais será igual.

É incrível como passamos a nos respeitar e respeitar mais outras pessoas. Tudo parece ser mais compreensível também. 

O fato de uma mulher tirar foto nua, por exemplo, é algo admirável. É uma mulher que teve coragem de se conhecer, de se tocar e de ser ela mesma. 

Fez o que queria fazer, sem amarras ou preconceito e merece ser respeitada, para dizer o mínimo.  

O autoconhecimento e consciência de que você é livre são a virada de chave para não mais se deixar afetar pela opinião alheia. 

Quando você se conhece o suficiente e está consciente dos próprios atos, o que qualquer pessoa disser/pensar não fará diferença.

Sendo assim, você não permite que ninguém mais te de menos do que você merece. 

  • Você não aceita mais estar num relacionamento abusivo!
  • Você não tolera mais a intolerância da sua família!
  • Você não finge que não entendeu a ofensa da sua amiga!
  • Você tem inteligência emocional para parar, pensar e questionar todas as vezes que for criticada. 

Ouse perguntar: ‘’Por que minha aparência ou estilo de vida incomoda tanto outros?”

 Afinal, se é algum ‘’ruim’’, é ruim para você. Porque outra pessoa se incomodaria tanto com isso? Certamente tem algo de errado com ela, não contigo. 

E você, que agora é alguém consciente e responsável pelas atitudes que toma, sabe como lidar e resolver isso. 

Logo pode dispensar rapidamente todo julgamento disfarçado de opinião.

Se eu pudesse dar só um dica hoje, eu diria para todas mulheres que estão lendo esse post terem a experiência de posar pelo menos uma vez na vida.

Não precisa tornar público ou mostrar pra alguém. Faça pra você, por você. E vai ver como vai se abrir um mundo novo na sua frente. 

Muito obrigada pela companhia e espero que esse texto te ajude de alguma forma.

Até o próximo!

Beijos

Doce

Todos os posts da série

A influência da fotografia sensual na vida de uma mulher