Home Homens em Pauta Ennio Morricone, as notas como essências de vida

Ennio Morricone, as notas como essências de vida

Ennio Morricone foi um dos maiores compositores e maestros que o mundo teve o presente de receber, seus arranjos de sintonia tocavam o coração em mais de diversos filmes, afinal, suas composições eram o suspiro de vida para diversas produções.

Ennio Morricone

Ennio-Morricone

Ennio nasceu em Roma, Itália. Em sua infância, seu pai o ensinou a tocar vários instrumentos e é claro, ler partituras. Mas o que mexia com sua pessoa era o poder do som da trombeta, não demorou e Morricone entrou para Academia Nacional de Santa Cecilia.

Estudou com o grande nome de Goffredo Petrassi, um dos principais compositores italianos que o ensinou a trombeta, composição e o coral. Os seus primeiros trabalhos eram voltados para dramas de rádio, naquela época Ennio já entregava um pouco de sua essência.

Carreira

Ennio-Morricone
Ennio Morricone e Sergio Leone

O compositor fez sua estreia em 1961 com apenas 33 anos, com a trilha sonora de “O Fascista” dirigido por Luciano Salce. Mas o reconhecimento de Morricone viria apenas na parceria com o diretor Sergio Leone, um colega na época do colegial que virou um grande amigo na vida adulta.

Inesquecível, como ambos definiram o que viria a ser conhecido como o gênero de “Western Spaghetti”, o faroeste italiano. Filmes como Por um Punhado de Dólares (1965), Três Homens em Conflito (1966) e Era Uma Vez no Oeste (1968). Sendo muito deles estrelados pelo mestre Clint Eastwood.

Mas o cinema italiano não foi a único a ser agraciado pelas notas musicais de Ennio, o compositor recebeu convites para trabalhar em produções de Hollywood, como A Missão (1986) e Os Intocáveis (1987) e retorno para o cinema italiano com Cinema Paradiso (1990)

As composições criadas por Morricone não eram apenas trilhas sonoras para complementar um produto, seus tons eram verdadeiros personagens, que incorporavam emoções em nosso corpo e alma. Essa é a razão para seu poder musical.

Ennio Morricone-3

Apesar de sua profundidade musical, Hollywood demorou anos para conceder um Oscar para Ennio. O primeiro foi o prêmio honorário por sua carreira em 2007 entregue pelo próprio Clint Eastwood. O segundo em 2016 pela composição em Oito Odiados (2015) dirigido por Quentin Tarantino, um de seus grandes fãs.

Não apenas no cinema, como também na própria cultura pop, Morricone influenciou muitos artistas. Sua sonoridade é referência para o Metallica, Radiohead, Bruce Springsteen e Arctic Monkeys.

Em toda sua carreira. Morricone compôs mais de 500 trilhas sonoras de filmes, e continuou trabalho arduamente até seus 91 ano, até sofrer uma queda onde quebrou o fêmur e estava em recuperação desde então, mas não resistiu ao machucado e veio a falecer na última segunda feira (06/07) deixando seu legado na indústria do cinema e para o mundo.

O coração da minha música é o silêncio”, ressaltava Ennio Morricone quando falava sobre suas trilhas sonoras. E agora o que temos é o silêncio de suas notas na vastidão de um adeus.

Fique com uma de suas melhores composições. The Ecstasy Of Gold de  Três Homens em Conflito.

Mais posts pra você

COMENTE JÁ