Charles Bukowski foi um dos escritores mais influentes de sua geração e certamente inspirou milhares de pessoas, inclusive a gente.

Nascido na Alemanha e tendo se mudado para os EUA ainda pequeno, ele contou histórias sobre mulheres, alcoolismo e sexo.

Ele escreveu sobre o sonho americano, sob a perspectiva de quem sempre viveu à margem da sociedade

Portanto, separamos 5 das suas melhores obras pra te inspirar

Crônica de Um Amor Louco (1983)

A história é uma imersão no seu universo onírico, com personagens vivendo em quartos sujos em Los Angeles, quase sempre alcoolizados.

O livro é parte da série “Ereções, ejaculações e exibicionismos”, com muito erotismo, humor ácido e histórias cativantes.

São 31 crônicas dos temas mais diversos, desde política até prostituição.

Fabulário Geral do Delírio Cotidiano

Esta é a segunda parte da série “Ereções, ejaculações e exibicionismos” e segue a mesma linha do primeiro livro.

São 30 contos, com o linguajar profano de Bukowski, só que com ideias um pouco mais amadurecidas do autor.

Aquele ar underground do primeiro livro é substituído por reflexões existencialistas e críticas à religião.

Mas sempre com o humor ácido que lhe é peculiar.

Misto Quente (1982)

Esta é uma obra autobiográfica em formato de romance.

Henry Chinaski é o protagonista deste livro, e com ele descobrimos como era a infância e adolescência depois da Grande Depressão de 1929, a pobreza e todas as dificuldades da época.

Dos romances de Bukowski, Misto Quente é sem dúvidas o que mais explora seu personagem como indivíduo

Nele, mergulhamos de vez na história de vida de Chinaski, seu alter-ego.

O livro nos ajuda a entender sobre a personalidade difícil de Bukowski, e porque ele se tornou este escritor tão intenso.

Mulheres (1978)

Outra vez o autor usa o seu alter-ego, o personagem Henry Chinaski, um escritor de 50 e poucos anos, alcoólatra e viciado em mulheres.

Mais que um livro sobre o relacionamento entre homens e mulheres, a história mostra a paixão de Buk pelas mulheres.

Bukowski descreve, de forma crua, todos os episódios que envolvem o dia-a-dia deste velho escritor.

Seus relacionamentos que começam sem que ele precise fazer muito esforço, mas que se vão com essa mesma naturalidade.

Certa vez li que estre livro é a eterna busca de Bukowski por si mesmo, e essa é a melhor forma de descrever “Mulheres”.

Pulp

Apesar de ser diferente dos seus outros trabalhos, Pulp é o meu livro preferido do autor

Nele, conhecemos a história do atrapalhado detetive Nick Belane, um cara durão, que vive com seu aluguel atrasado.

Belane recebe a visita de uma mulher chamada Dona Morte, que lhe encarrega de um caso, encontrar um escritor morto há anos, mas que ela jura que o viu numa livraria recentemente.

A trama deliciosamente maluca tem perseguições, assassinatos, e até uma conspiração alienígena. Vale muito a pena!



Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter