Definitivamente, é um ano de muitas mudanças para a Playboy. Desta vez, a jornalista americana Noor Tagouri fez história nos EUA ao se tornar a primeira mulher muçulmana a posar para a revista usando véu.

Como você sabe, a publicação americana deixou de veicular imagens de mulheres nuas, como parte de uma nova estratégia de mercado. Então, Tagouri, de 22 anos, posou vestida.

Mensagem polêmica

Ela é filha de imigrantes líbios e conhecida pelo ativismo on-line, incluindo uma campanha para se tornar a primeira apresentadora de TV muçulmana a usar véu em uma emissora comercial nos EUA. Em entrevista, ela diz que a decisão de posar para a Playboy foi uma oportunidade de desafiar as percepções sobre mulheres muçulmanas e de usar a revista para propagar uma mensagem contrária a objetificação sexual feminina.

“Eles (a revista) ficaram conhecidos por sexualizar as mulheres. Não haveria maneira melhor de compartilhar minha mensagem do que usar a frente em que as pessoas fazem justamente essa objetificação”, diz ela.

Enquanto algumas mulheres apoiaram Tagouri por quebrar padrões, outras acharam que o ensaio ainda é contrário aos princípios da religião, apesar de ela aparecer vestida nas fotos.

View this post on Instagram

I knew that Playboy had overhauled the look of the magazine and took out the nudity; that was great but it wasn’t enough. This wasn’t a decision that I could take lightly. I spent time talking to my family and mentors, praying about it, and asking the writers a ton of questions. While doing my research, I learned that the magazine was committed to putting social justice and cultural progress at the forefront of their mission. It may sound wrong and it may make you uncomfortable to associate Playboy with social justice and cultural progress, but that’s what I do. — excerpt from my letter to you. Arabic translation now available on my site. 📸: @gokateshoot 💄: @saraaboo

A post shared by Noor Tagouri نور التاجوري (@noor) on

Sonho e persistência

Tagouri estará na edição de outubro da publicação, como parte da série “Renegados”, que mostra pessoas que “arriscaram tudo, até suas vidas, para fazerem o que amam”.

Atualmente, ela trabalha como repórter na empresa Newsy, que produz notícias em vídeos, mas sonha em ser a primeira âncora de telejornal usando um hijab na TV americana. “Ser uma mulher de hijab me dá confiança. Sei como é ser mal interpretada na imprensa. Não farei isso com os outros”, disse à Playboy.



Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter