Home Suicide Girls Pimenta – Normalizando corpos femininos em todas as suas formas

Pimenta – Normalizando corpos femininos em todas as suas formas

Nome: Kamila (Pimenta)
Idade: 31 anos
Cidade: São Paulo
Profissão: Weistress
Instagram: @lifeaspimenta

A nossa suicide girl brasileira em destaque no post de hoje é a maravilhosa Pimenta. Esta é a primeira vez dela no Testosterona, e você confere a seguir um pouco mais sobre o trabalho de uma modelo que sabe o que quer e serve de inspiração não só pela sua naturalidade, mas também por saber ser livre.

A Pimenta é suicide girl hopeful e nesse ínterim já tem 6 sets publicados no Suicide Girls, e as fotos utilizadas neste post são dos sets Never Sleep Again, Drop Like It´s Hot e Heartbreaker.

Pimenta

Pimenta
Pimenta – Foto: Hilo

Primeiramente, como você se apresentaria pra um leitor do Testosterona que não te conhece ainda e não viu seu trabalho

Eu sou a Pimenta, sou curvy model, bodypositive e meu trabalho é normalizar corpos femininos em todas as suas formas.

Há quanto tempo você tem perfil no Suicide Girls e o que te chamou atenção no site?

Estou no Suicide Girls desde 2015, sou fã do site desde a adolescência, quando só acompanhava de longe admirando as modelos.

Pimenta, porque você decidiu se tornar uma Suicide Girl?

Primeiramente uma fotógrafa me chamou pra enviar um ensaio pra lá, topei na hora! Fazer parte desse time de modelos que eu admirava desde novinha era muito surreal para mim.

Pimenta
Pimenta – Foto: Hilo

O Suicide Girls surgiu primordialmente pra quebrar padrões. Hoje em dia grande parte das modelos do site tem cabelo colorido e tatuagens, você acha que o site nesse sentido ajudou a estabelecer um novo padrão de “modelo alternativa”?

Eu acho que quando o site se iniciou, sim. Tanto que Suicide Girls vem justamente de garotas que eram tão modificadas que praticaram o suicídio social, o que a gente chama de “rasgar o RG” com sua tatuagem e estilo totalmente fora do aceitável na sociedade.

Você se considera uma modelo alternativa? Ou essa classificação não é necessária e modelo é modelo…

Sim, me considero modelo alternativa, acho que como em todo lugar a gente tem segmentos nas coisas. Contudo, ser modelo alternativa é estar mais livre com seu estilo, é muitas vezes ser conhecida por ele não só pela sua beleza. É a beleza que vem de dentro, porque o estilo você constrói com você, com a sua personalidade. É saber que não são todos os trabalhos de modelo que você se enquadra por tatuagens e tudo mais. Acho que ser modelo alternativa é mais corre do que glamour, mas também é ser mais você na hora de fotografar e ser livre na sua arte.

Pra você o que é ser sensual na visão da Pimenta?

Sensualidade é uma coisa que vem de dentro e se exterioriza, eu sempre disse. É ter um corpo como o meu, por exemplo, que não se enquadra em muitos padrões de aceitação por aí e mesmo assim saber da sua sensualidade e não ter vergonha nenhuma de ser sensual porque seu corpo não é o que está estampado na capa de revista. Tem gente que é sexy só de existir, porque é sua essência que é sexy. Quando você se auto conhece e se aceita… não tem nada mais sexy que isso.

Pimenta suicide girl
Set: Heartbreaker – Foto: Msilvera

De acordo com sua experiencia, por acaso já sofreu algum tipo de preconceito por fazer ensaios sensuais? Bem como lidar com pessoas que não entendem este tipo de trabalho?

Já sim! Inclusive quem disse que não sofre está mentindo. Aliás, homens que mudam seu tratamento e intenções quando tem contato com o que eu faço, me impossibilitando de me relacionar com alguém afetivamente há muito tempo. Mas quando você tem certeza do que você é, do propósito que você tem com essa exposição, acho que ser bem resolvida e segura é o básico pra começar a se blindar disso. No final é muito mais interno que externo.

Quando você é muito bem resolvida com isso você deixa de se incomodar um pouco com o externo. Sempre digo que as críticas são externas mas o que a gente tem que trabalhar é o nosso interno, porque é com ele que não deixaremos isso nos afetar de alguma forma. A objetificação, o machismo e o preconceito são dos outros e os outros são só os outros. Só você sabe da sua história, do seu corre e do seus motivos, não eles.

Como você se sentiu quando fez seu primeiro ensaio sensual?

Autoestima mil! Autoestima nunca foi meu forte, então finalmente sentí-la de uma maneira genuína foi gasolina pra muita coisa na minha vida. Recomendo pra mulheres que nunca fizeram, se rolar insegurança fotografem com uma mulher. Aproveitem a experiência de ser fotografada, se conheça e teste seus ângulos e veja o resultado final. Descubra que você é linda de um jeito que você não sabia ainda e ai então veja a magica acontecer dentro de você :)

Pimenta, você se considera uma pessoa exibicionista?

Hoje em dia não muito, já fui mais. Acho que tudo na vida da mulher é uma fase, pelo menos comigo foi assim, acho que não sou mais tanto, tem semanas que não me sinto nada afim. Mas tem dias que tudo que eu quero é me sentir bonita numa câmera e exibir isso pro mundo.

Set: Heartbreaker – Foto: Msilvera

Entre os seus sets, tem algum favorito por algum motivo especial?

Essa é muito difícil, acho que cada set lembra um momento da sua vida então cada um tem um gostinho diferente pra mim. Um dos sets que eu mais gosto é o cosplay que fiz do Freddy Krueger, por amar o personagem e por me ver linda naquelas fotos. Outro que eu amo muito é o que eu tenho com a Kalinca e com o Maicon. São sets que me orgulho até hoje

Fala pra gente sobre suas tatuagens? Quantas você tem? Qual sua preferida?

Não sei quantas eu tenho e também não sei escolher uma preferida, eu estaria magoando a história das outras. Amo muito minha carta de Tarot na barriga. Minha Amy Winehouse no quadril… cada uma tem uma razão e um amor diferente. Vou decorando minhas paredes com coisas que eu amo é que vão fazendo parte da minha jornada.

Pimenta, você se inspira ou busca referência no trabalho de outras modelos? Quais?

Sempre! Uma Suicide que eu quero ser quando crescer é a Ceres ❤️ Acho incrível como ela está sempre linda, em qualquer fase da sua vida, com qualquer corpo e na simplicidade das suas produções.

Como que é a relação com os seus fãs e admiradores nas redes sociais?

É muito boa. As vezes tem uma parte do público masculino que é sem noção, mas eu tento lidar o melhor possível com tudo isso. Tento responder todo mundo (que consigo) tento ser próxima e inclusiva. Ter uma rede de apoio é muito importante, seguidores são números. O que importa é: como você aproxima esse número de você e faz eles se tornarem algo a mais.

Os fãs brasileiros são diferentes dos seguidores de fora?

São sim. É cultural né? Os gringos são mais contidos nos seus comentários e abordagem, eles entendem que a admiração deles bastam e respeitam limites. A maioria dos brasileiros não, mas são muito calorosos e eu sempre tento levar da melhor maneira que eu posso, todos os comentários

Quais as suas SG brasileiras favoritas da Pimenta?

Essa é difícil também, porque eu precisaria de uma lista! Acho que são minhas amigas, a Jacqueline e a Hilo, que além de modelos do site eu também admiro muito tudo que elas são como mulher.

O que você gosta de fazer nas horas vagas?

Amo estudar e ler. Faço francês, curso de escrita criativa, leio vários livros ao mesmo tempo. Dou uma cuidada do espiritual, medito, estudo Tarot. Amo acordar cedo e ter uma rotina matinal. Escutar meus discos na vitrola. Acho que o tempo que q gente investe na gente é muito terapêutico

Que dica você daria pra uma garota que sonha em entrar pro Suicide Girls?

Conheça o site. Ele é muito mais do que uma plataforma de ensaios nu com garotas tatuadas. Aliás, é toda uma comunidade onde você pode ser você mesmo e discutir sobre vários assuntos com gente do mundo todo. Então aproveite o que o site te oferece, não tente ser Suicide Girl pelo status, entenda a essência da parada. Tem muitas meninas que viram de primeira e muitas que demoram anos como eu, e tá tudo bem. Não deixe que isso de frustre e te faça desistir. Além disso, ser Suicide Girl já está na sua essência se você procura isso e se identifica, não só sobre ter um ensaio comprado pelo site. É estilo de vida.

O que você mais gosta no Testosterona??

Eu amo o espaço em que a mulher é respeitada. Então eu sinto que no Testosterona a gente tem um outro contato com o público masculino. Pois a gente pode falar sobre coisas relevantes pra quem realmente se interessa, não se trata só de corpo e objetificação é conteúdo relevante sem deixar de ser sexy.

Por fim, Pimenta, muito obrigado por participar do Testosterona e o espaço é todo seu pra deixar o recado que desejar!

Quero agradecer a oportunidade e o espaço para me expressar. Quero falar para as mulheres se olharem com mais carinho, não se cobrarem tanto. Olha seu corpo com carinho, ele é sua única casa. seu corpo te ama e tá ali, te sustentando e trabalhando para que você viva e siga sua jornada da melhor forma. Experimente amar ele de volta mesmo que não esteja no formato que você queria que ele fosse.. aí você vai entender o que é liberdade. Ahhh e homens, não coloquem um rótulo nas meninas que são livres e felizes em mostrar seus corpos, vamos naturalizar um pouco mais corpos nus sem objetificação. Bebam água e não sejam gordofobicos ❤️

Mais Suicide Girls no Testosterona

Então, que tal o post com a maravilhosa Pimenta, gostou? Pois deixe sua opinião nos comentários e conta pra gente qual suicide girl você quer ver no Testosterona?

Mais posts pra você

COMENTE JÁ