A carioca Penny é apaixonante! Ela ama posar para as lentes e nós amamos este ensaio clicado pela Doce Suicide.

Penny

Aos 21 anos, Penny é uma união de tudo que amamos: tatuagens, piercings, beleza e muita simpatia. A carioca trabalha como treinadora há 5 anos, há quase 2 como modelo fotográfica e Body Piercer – o último um hobbie que ama! Nas horas vagas, tem muita coisa que ela gosta de fazer: “Eu amo ler, tatuar, jogar, sair para me distrair e tomar um copo gigantesco de açaí”, comenta.

Penny

Tudo nua

“Eu amo ficar nua!”, foi assim que Penny respondeu quando a perguntamos como começou a explorar seu lado sensual. Ainda complementou: “Eu amo andar pela casa nua, cozinhar nua, dormir nua e etc. Eu sou sempre aberta a ideias, descobertas e curiosidades, afinal, sou geminiana [risos]. Já observava desde nova as modelos do Suicide Girls, não só elas como de diversos sites (até mesmo o Testosterona) e me via fazendo o mesmo, então fui de cabeça e agora estou aqui”.

Penny

Mais completo

Penny conheceu o Testosterona pelas modelos que segue nas redes sociais e começou a acompanhar e, claro, curtir. O que ela mais gosta de ver por aqui? “Curto tudo no Blog. Primeiramente que os temas discutidos são livres, sem pudor e isso gera engajamento, visibilidade e interesse dos internautas. O único e mais completo blog masculino, no meu ponto de vista”, diz. Quem aí concorda com ela? o/o/o/

Penny

Segredos revelados

Comprometida, Penny não é do tipo que tem papas na língua e comentou com a gente o que um par ideal precisa: ter sinceridade, dar muito carinho e gostar de sexo tanto quanto ela. E na hora H ela também nos contou o que mais gosta: “Sou praticante de BDSM, meu maior fetiche é a dominação. Sou uma domme que respeita e é muito bem tratada pelos meus “capachos” e seguidores/fãs”.

Mais uma vez

A fotógrafa Doce Suicide está de volta! Tem como não amar suas fotos? A fotógrafa vem se dedicando somente a ensaios sensuais desde 2017 e de vez em quando também é a modelo. “Eu diria que sou um combo! [risos] Aplico a experiencia que obtive nesse tempo trabalhando como modelo e ajudo as meninas que querem entrar nesse mercado. Então faço toda parte de recrutamento, fotografia e mentoria”, diz.

Sua missão desafio na hora de fazer as fotos? “Mudar a visão que as mulheres têm sobre si mesmas. Por conta de experiencias negativas que tiveram no passado, muitas acabam se deixando de lado e se reprimindo. Minha missão é fazer com que elas se enxerguem como são, se amem e se valorizem por isso”.