am

O  Ashley Madison ganhou uma quantidade considerável de novos usuários nas semanas após harckers invadirem o site e divulgarem dados dos usuários do site, de acordo com a empresa parceira Avid Life Media(ALM). “Apesar de nosso negócio e clientes terem sido atacados, nós estamos crescendo”, disse a ALM, em um comunicado. “Na últiama semana, centenas de milhares de novos usuários se inscreveram na plataforma Ashley Madison – incluindo 87.596 mulheres.”

O número de mulheres no site tem sido uma questão controversa. O grupo que afirma estar por trás do ataque e divulgação dos dados, o  The Impact Team, disse que resolveu atacar a Ashley Madison, em parte, porque o site é uma farsa e tem muito menos membros do sexo feminino do que afirma. No primeiro semestre deste ano, a proporção de membros pagantes do sexo masculino para membros do sexo feminino (que utilizam o serviço de graça) foi de 1,2 para 1, disse a empresa. Além disso, as mulheres enviaram mais de 2,8 milhões de mensagens, somente na semana passada. “Esses números são o principal motivo que tornam Ashley Madison o serviço n°1 para pessoas que procuram relacionamentos discretos”, disse a declaração da ALM.

Apenas uma pessoa não está mais recebendo as glórias pelo sucesso do site: Noel Biderman, que na semana passada deixou o cargo de CEO. O site agora está sendo liderado pela equipe de administração sênior existente. Ashley Madison e ALM (que também são proprietárias da Cougar Life and Established Men) estão “ativamente se ajustando”, após a violação, que tornou os detalhes particulares de milhões de clientes públicos e online. A ALM está oferecendo uma recompensa de 380 mil dólares para obter informações sobre a identidade da The Impact Team, grupo responsável pela divulgação.

Fonte: Global News