tetas
Toplessaço rima com fracasso. Nem de longe as mais de 8.000 confirmações do eventomarcado pelo Facebook se refletiram nas areias da praia de Ipanema, neste sábado. Nada mais do que oito mulheres aderiram ao ato, que tinha a intenção de protestar contra o machismo e pela liberdade do corpo feminino. Mas o que elas conseguiram de fato foi atrair uma multidão de homens que se aglomeraram só para ver os seios de fora.

Vendedores ambulantes, fotógrafos e curiosos assumidos começaram a se concentrar em frente à Rua Joana Angélica, por volta das 10h, antes mesmo da chegada de qualquer ativista. E não esconderam a decepção quando milhares se converteram em menos de uma dezena. “É propaganda enganosa. Cadê as 8.000 que o Face dizia que teria? Vim aqui para apreciar”, admitiu o vigilante Oséias Lobato, de 47 anos.

Quem aceitou tirar a blusa e ficar com os seios nus, foi imediatamente cercada por uma multidão que queria registrar o momento com celulares e câmeras, e ainda teve de ouvir gracinhas dos mais exaltados. “Não entendo por que meu corpo tem que chocar tanto. Quantas vezes isso precisa acontecer para as pessoas começarem a achar natural?”, questionava a estudante Carolina Jovino, de 19 anos, que se dizia até assustada.

A cineasta Ana Paula Nogueira, de 34 anos, não parecia preocupada com as reações adversas e chegou a fazer poses sensuais diante dos flashes. “Infelizmente, o Rio ainda é uma cidade muito careta, mas alguém tem que fazer isso para que um dia se torne natural”, disse, lembrando a célebre imagem de Leila Diniz quando foi à praia grávida de biquíni, em 1971. “Foi muito comentado na época, mas hoje não choca mais ninguém.”

Alguns homens simpatizaram com a causa. O estudante Victor Rodrigues Ferreira, de 17 anos, foi a Ipanema com o amigo Rennan Elias de Oliveira Carmo, de 18, vestindo biquíni. “Achei que o movimento era para eliminar essa visão machista que a sociedade tem do corpo da mulher, mas muita gente só veio aqui ver as meninas sem blusa”, criticou ele. O programador Luiz Antonio Correia da Silva, de 49 anos, aderiu ao protesto com seios postiços.

Como começou – A motivação para o Toplessaço veio da repressão policial sofrida pela atriz Cristina Flores, de 37 anos. Em novembro, ela tirou a blusa na Praia do Arpoador para ser fotografada e divulgar a peçaCosmocartas. Havia pouca gente na praia. Foi abordada por três policiais e obrigada a vestir a blusa. Caso contrário, seria presa e autuada por “ato obsceno”.

Fonte: Veja