porn2

Uma das figuras mais comuns em filmes pornôs é a colegial safada. Ela sempre usa saia curta e está disposta a barganhar nota por sexo. Mais do que excitantes, as cenas – geralmente na sala de aula – podem ser pedagógicas. É o que defende o blog Blackboards in Porn, dedicado a analisar o conteúdo escrito nos quadros negros desses filmes.

Em resumo, o autor anônimo pega uma cena e dá uma aula sobre, por exemplo, a teoria de Darwin.

O quadro negro traz a seguinte informação:

CRIACIONISMO = SIM!

DARWIN = FUMA CRACK

DARWIN ACREDITA = PEIXE -> MACACO -> GLEN -> HOMEM/MULHER = ERRADO

porn1

Sobre isso, o autor comenta:

“A ideia de que os homens evoluíram do macaco (ou o macaco do peixe) é um conceito errado, mas bastante comum da teoria de Darwin, que na verdade propõe que humanos e macacos compartilham um antepassado comum que viveu há aproximadamente 40 milhões de anos. É errado afirmar que Darwin acreditava que os humanos evoluíram do macaco por meio de Glen (presumidamente o “elo perdido” que criacionistas tanto amam). Um grande número de fósseis de transição foram encontrados para apoiar o registro evolucionário do hominídeo, incluindo Lucy (Australopithecus afarensi) e Ardi (Ardipithecus ramidus), mas nenhuma Glen. Tal descoberta certamente enfraqueceria o ponto de vista dos criacionistas.” Fórmulas de ângulos complementares, a constituição química do ácido ortosilícico e a história do império russo também são motivos em quadros negros de filmes pornôs que o autor analisou.

O autor explica a ideia em um post da Wired: “Eu vi um filme qualquer e fiquei bastante impressionado com o fato de que, em uma indústria que supostamente opera com as despesas mais baixas, com valores de produção mínimos, alguém pudesse realmente se preocupar em tomar um tempo para escrever algo no quadro negro da sala de aula. E o que escrevia era, na maior parte das vezes, correto. (…) É como se eles [os atores e o pessoal envolvido nas filmagens] dissessem ‘sim, eu posso ser um fornicador público, mas eu ainda lembro o teorema de Pitágoras’.”

Pronto. Mais uma desculpa para você ver filmes pornôs.

Fonte: Vip