retardado
O americano Chris Sevier entrou com um processo na justiça da Flórida, nos EUA, para que possa oficialmente se casar com seu computador repleto de pornografia, a quem chama de “esposo máquina”. De acordo com o site de notícias “Sky News”, Sevier alega que foi discriminado no estado de Utah, alegando que apresentou um pedido de casamento com sua máquina, mas que teve a licença negada pelo funcionário.

“Meu objeto de afeição estaria fora do escopo de definição de parceiro”, lamentou Sevier. “Meu casamento com a máquina é de menor risco, já que a possibilidade de um divórcio litigioso seria evitado, caso a união não desse certo”, argumentou o americano. A moção, de mais de 50 páginas, foi levada a uma corte de apelação no estado, e não foi o primeiro processo polêmico em que Chris teria se envolvido.

Em 2013, Sevier processou a Apple alegando que a empresa teria falhado em colocar um “dispositivo de segurança” no notebook (o mesmo com que deseja se casar), o que teria tornado o homem viciado em pornografia, ao ponto de deixar de se envolver com mulheres. Desde então, o americano teria “se relacionado” com o computador, e preenchido a máquina com grandes quantidades de material pornográfico.

Fonte: G1