Mais de um terço dos casados trai compulsivamente seus cônjuges. Segundo pesquisa feita pela internet com cerca de 90 mil pessoas de diversos países, mais de 40% dos homens e mulheres infiéis admitiram que traíram mais de cinco vezes – outros 36% das mulheres e 33% dos homens revelaram que o fizeram de duas a cinco vezes. Essa e outras revelações do que os casais têm praticado na vida a dois são fruto do estudo, feito desde 2011, que resultou no livro “The Normal Bar” (em tradução livre “A Barreira Regular”). A publicação foi lançada em fevereiro nos Estados Unidos e ainda não tem previsão chegar ao Brasil.

Para o psicólogo Roberto Chateaubriand, os dados não surpreendem. “A traição sempre esteve presente nas relações conjugais, mas, antigamente, era quase exclusivamente parte do território masculino. Essa questão de gênero está completamente retratada na pesquisa, principalmente em relação às razões para se trair”, diz, citando que, na pesquisa, 46% dos homens falam que traem por terem muita “energia sexual” e que esse número se inverte quando a causa é a raiva do parceiro – que levou a 38% das mulheres à infidelidade.

A empresária Chrisanna Northrup, que idealizou “The Normal Bar”, lembra que o livro tem um capítulo inteiro sobre os motivos da traição entre os casais. “Quase metade dos entrevistados leu o e-mail do parceiro para olhar o que eles estavam fazendo”, revela. Segundo ela, a falta de comunicação foi citada pelos casais extremamente infelizes como um dos principais problemas. “A primeira coisa que nossos casais extremamente felizes disseram foi que a comunicação era a coisa mais gratificante na relação”, complementa.

Pornografia. A pesquisa também derruba o mito de que a mulher casada não gosta de pornografia. Segundo o estudo, 61% delas e 89% deles apreciam material pornográfico. Andrea aponta a liberdade sexual como a causa dessa aproximação estatística. “O público feminino é o maior frequentador dos sex shops”.

sexo-traicao

Fonte: Huffington Post