Estudo publicado pela Revista Science conclui que as fêmeas da espécie humana que possuem aréola com tonalidades mais escuras estão mais propensas a desenvolverem atos de infidelidade conjugal. O estudo foi realizado na USAC (Universidad de San Carlos de Guatemala) pelo PHD Francisco Gálvez Del Valle e envolveu 1.670 mulheres guatemaltecas durante 5 anos.

O professor Gálvez comprovou que a concentração mais elevada de melanina no tecido cutâneo do mamilo está associado a um desequilíbrio no hipotálamo que libera volumes mais expressivos de hormônios gonadotróficos fazendo a hipófase elevar as concentrações de testosterona, tornando assim a mulher mais suscetível a estímulos sexuais e redução dos padrões de moralidade. A pesquisa comprovou que 87,3% das mulheres com mamilos escuros praticaram atos de infidelidade durante o período estudado, enquanto apenas 0,02% das mulheres de mamilos rosados tiveram atitude assemelhada.

Depois da publicação do estudo muitas mulheres na Guatemala estão fazendo cirurgias de transplante de aréola, uma vez que as que possuem o popular ‘Negresco’ estão sofrendo sérias restrições matrimoniais. Um capítulo inteiro da pesquisa é dedicada a dimensão do raio da aréola. Segundo Gálvez, quanto maior o raio do ‘Negresco’ maior a incapacidade de exercer a fidelidade em um relacionamento afetivo.

Amigo, se a sua senhora possui este traço marrom na anatomia abra o olho. Mas se a mulher do seu amigo possui este crachá de devassa aproveite. Em dias de chuva fique atento as blusas brancas pois elas são o GPS da aquisição clandestina de orgasmos.

Fonte: Instituto Fabio Flores