Home Música Duke Dumont – A modernidade do Dance Music

Duke Dumont – A modernidade do Dance Music

Assim que você ouvir Duke Dumont a primeira vez pode se surpreender, O DJ britânico não faz música eletrônica enjoativa, muitas que ouvimos por aí, pelo contrário, ele sabe misturado o antigo ao novo. Justamente porque respira através da essência do Dance Music dos anos 90 de uma maneira original.

História

Duke Dumont

Duke Dumont (nome de artístico de Adam George) fez seu nome no cenário EDM em palcos de festivais e clube noturnos dos mais badalados da Europa. Seus singles, Need U (100%), Ocean Drive e I Got U alcançaram as paradas em todo mundo que trouxeram também um Grammy em 2014.

Seu início  de carreira começou em 2007 guiado e incentivado por Switch (antigo produtor da Beyoncé e MIA) em produzir remixes de músicas conhecidas, de artistas como Lily Allen e Bat For Lashes. Para quem não sabe, são poucos os DJ que criam autoral logo de início, primeiro lançam remixes e divulgarem seu nome no cenário eletrônico.

Carreira de Sucessos

Vivendo sob as influências do techno e house, Dumont lançou seu EP de remixes, o Fabriclive 51 (2010). Depois ficou decidido que iria criar e produzir seu próprio material, como tinha experiência sobre o que funcionava nesse meio, lançou Need U (100%) e I Got U em baladas e festivais.

O segredo para o sucesso de Dumont é bem simples, ele segue uma fórmula que estava um tanto esquecida, vocais atrativos e em ritmos e batidas chicletes. Isso faz lembrar muito a fase áurea do dance musica dos anos 90, quando Corona dominava as baladas com Rhythm of The Night.

Diferente de outros artistas, Dumont gosta de viver de singles, seu primeiro álbum autoral, Duality (2020) que deveria ter sido há anos, sempre era colocado na gaveta e saiu do papel apenas porque ele recebeu incentivo da gravadora.

Para Duke, um álbum é uma das piores coisas que qualquer artista pode fazer em sua carreira, ainda mais na atual geração. São pouquíssimas pessoas que ouvem um trabalho completo realizado em um álbum, o que faz o custo de produzir algo assim inviável para seu retorno. Melhor é lançar singles sazonais, o DJ ainda assina embaixo devido as suas experiências.

Seus outros singles, como Wont Look Back , Red Green Light e The Giver servem como complemento de toda essa linha pensamento em um cenário musical que carece sempre de novidade, ainda mais quando olhamos atentamente para o mundo da EDM.

Mais posts pra você

COMENTE JÁ