O rock em sua essência sempre foi uma música de protesto. E independente das suas mais diversas vertentes, músicos sempre expressaram suas opiniões políticas através da sua música.

Volte no tempo e veja Elvis Presley desafiando a sociedade conservadora com sua dança no palco. O rock sabe contestar em forma de música e atitude.

Décadas depois John Lennon faria o clássico Imagine, e você pode dizer que ele foi um sonhador, mas ele não é o único.

Rock de protesto

Provavelmente a vertente mais politizada e que mais chame atenção seja o Punk Rock, mas ela não é a única, e centenas de bandas de todos os estilos têm músicas sobre guerras, violência, pobreza e por aí vai…

Muitas vezes a crítica social aparece de forma bem sutil, fazendo com que você tire suas próprias conclusões sobre o tema, sem pregação. Em outros casos as opiniões políticas aparecem de forma bem direta.

Separamos alguns exemplos de bandas que ao longo dos anos usaram o rock pra se expressar e se rebelar.

 

PINK FLOYD

Além do álbum The Wall falar sobre guerras e falha no sistema educacional, todo o conceito do álbum Animals é baseado na obra “A Revolução dos Bichos” de George Orwell, que aborda muito sobre socialismo e comunismo.

 

“Não precisamos de educação / Não precisamos de controle de pensamento / Nada de sarcasmo na sala de aula /Professores, deixem as crianças em paz”

 

BLACK SABBATH

Mesmo com letras sobre ocultismo e referências às drogas, o Black Sabbath por vezes fez críticas ao governo e escreveu músicas sobre guerras.

Basta dar uma conferida em Children of The Grave e War Pigs pra entender melhor.

 

“Políticos se escondem / Eles apenas iniciaram a guerra / Por que eles deveriam sair para lutar? Este papel eles deixam para os pobres, sim!”

 

JOHN LENNON

Além de ter escrito Revolution junto com Paul McCartney ainda nos Beatles, ele se tornou um verdadeiro ativista pela paz em sua carreira solo.

Lennnon deixou um legado de canções como “Give Peace a Chance e Working Class Hero.

 

“Mantendo você dopado com religião, sexo e TV / Você pensa que você é tão esperto, sem classe e livre / Mas você continua sendo apenas um plebeu fodido até onde consigo ver / Um herói da classe trabalhadora é algo para ser.”

 

IRON MAIDEN

Uma máquina de músicas sobre fatos históricos e guerras. O Iron Maiden tem quase sempre um ponto de vista mais conservador.

Aces High fala da Batalha da Inglaterra, luta travada entre a RAF (Royal Air Force – Força Aérea Real) e a Luftwaffe (Força Aérea Alemã) de Hitler, durante a Segunda Guerra Mundial

Run to the Hills mostra as perspetivas de duas facções militares opostas durante a ocupação da América do Norte. Este período foi marcado por batalhas violentas entre homens brancos e indígenas. A música mostra cada um destes lados.

“O homem branco veio pelo mar / Nos trouxe dor e miséria / Matou nossas tribos, matou nossas crenças / Levaram nossa caça para sua própria necessidade”

 

OUTRAS BANDAS:

Dead Kennedys: Além de letras ácidas, toda arte gráfica banda é recheada de referências e ironias políticas. Músicas: Holiday in Cambodia, Kill the Poor

The Clash: Uma das primeiras bandas a deixar explícita sua veia política. Músicas: London Calling, Spanish Bombs, Know Your Rights

System of a Down: Constante revolta contra instituições como governo, igreja e capitalismo. Músicas: BYOB, Holy Mountains, Boom!

Rage Against The Machine: Propaganda esquerdista e anticapitalismo. Músicas: Killing in the Name, No Shelter, Know Your Enemy

 

 No Brasil

Você encontra letras políticas de bandas como: Sepultura, Inocentes, Garotos Podres, Titãs, Legião Urbana, Os Paralamas do Sucesso…