Uma das inspirações para a criação deste Blog foi o livro “As mentiras que os homens contam” de Luís Fernando Veríssimo. De lá para cá, muita coisa mudou. As tecnologias avançaram, foi criado o Facebook, Instagram, Whatsapp, Tinder, Snapchat. A Seleção Brasileira ficou ruim e o Dunga foi de herói pra vilão. O Corinthians ganhou um Mundial tendo ganho uma Libertadores. O Palmeiras, enfim, permanece sem Mundial (algumas coisas nunca mudam). E as mentiras ficaram mais elaboradas, mais complexas e um tanto mais estratégicas.

Os meios de comunicação poderiam ter acabado com todas as mentiras. Bastava você verificar no Facebook. Perguntar para um amigo no Whatsapp. Mas, não. A mentira é secular e está entranhada na alma não só do homem, como da mulher. A mentira evoluiu.

O que antes era preciso apenas uma boa história, agora tem que ter check-in no Facebook e last seen no Whatsapp, mas a astúcia das pessoas não foi deixada de lado. Não foram inventadas novas mentiras, as antigas que foram aprimoradas. Para lhes dar exemplo, o bom e velho “só vou colocar a cabecinha”, ganhou um adendo, como forma de bio no Tinder: “Procuro alguém para namorar”; “Prefiro um domingo de filme do que um sábado de festa”. Tudo isso só para “colocar a cabecinha” e voltar a procurar um novo grande amor.

mentiras-pinoquio

Foto: Divulgação

Mas as mulheres não ficam atrás. E elas se aperfeiçoaram na pior mentira da atualidade: a foto de perfil. É um terreno misterioso e quase sempre incerto. Ângulos e aplicativos de edição são os melhores amigos nessa hora. Começam a nos enganar e nos iludir, antes mesmo de nos conhecerem. Primeiro, a silhueta voluptuosa, o cabelo cobrindo suavemente parte do rosto. Depois, as velhas mentiras voltam a aparecer: “Primeira vez que fiz isso”; “Nossa, você é demais!”;”Amor, não tem problema você não ir”; “Não, eu não estou chateada!”. E a vasta gama de mentiras que recebemos delas que nos enganam sem perder o sorriso.

Não são mais só as mentiras dos homens e, muitas vezes, elas se confundem. Mentira não tem gênero, e vale salientar. Antigamente, só os homens iam a lugares que “só iam homens”. Hoje, muitas delas também frequentam lugares que só “vão as meninas”. Os homens achavam que podiam mentir facilmente para suas mulheres. Não subestimem. Mulher nunca precisou de aplicativo, rede social ou novos tempos para nos enganar. Hoje, só está mais fácil. E o livro seria: “As mentiras que os homens contam e as mulheres fingem que acreditam”. No final, nós estamos redondamente enganados. Em todos os sentidos.